Área: Meio ambiente
05/16/2020, 17:10:48
D020 - NOME DO DESAFIO HIGIENIZAÇÃO DAS COMPRAS DOMÉSTICAS
Nome do ProponenteADRIANA CAMARGO
JustificativaIndependente do vírus, devemos aumentar o hábito de higienizar todas compras, não só legumes, frutas e folhas, que tínhamos hábito de higienizar no momento do uso. Agora devemos higienizar tudo que chega do supermercado, incluindo os produtos de limpeza, antes de ir para geladeira ou despensa, entretanto o desafio é que nem todas embalagens são laváveis, bem como lavar tudo leva um bom tempo.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Empresas e comércio, Meio ambiente
Público AlvoTodos
Video do DesafioNenhum.
 
D025 - NOME DO DESAFIO MONITORAMENTO DE CONTACTANTES DE COVID19 POR BLUETOOH
Nome do ProponenteAbel Alves Rosa Jr
JustificativaUm dos maiores desafios durante a pandemia de COVID19 é o monitoramento de casos assintomáticos e seus contactantes. Pessoas infectadas pelo SARS-COV-2 ainda assintomáticas que venha a se tornar sintomáticas e identificam que estão contaminadas pelo vírus, podem ter entrado em contato com dezenas ou até centenas de pessoas nos últimos dias antes da identificação da infecção. Um app para smartphones que utilizaria a tecnologia Bluetooh (proximidade) para eventualmente avisar que uma pessoa entrou em contato próximo com outra pessoa com confirmação da infecção por SARS-COV-2, mesmo dias após o contato. Avisaria dos dias em que entrou em contato, qual foi a proximidade (bluetooh).

Esta estratégia não utilizaria GPS ou rastreamento das pessoas (privacidade) e seria de uso voluntário porem com incentivo dos orgãos sanitários. O uso do mesmo pode ser encarado pelos cidadãos como um escudo/arma defensiva contra a infecção e reforçaria orientações de isolamento/higiene e etiqueta respiratório.

O uso do app instalado no celular e em uso constante pode ser utilizado como ferramenta de permitir a volta progressiva dos serviços/comercio em geral, transporte público, entrada em lojas e comércios, aulas e eventos presenciais que tendem a voltar aos poucos.

Será útil na segunda e terceira onda do COVID19.

As utilidades desta tecnologia são as mais diversas, auxiliando no monitoramento de casos positivos e contactantes (sem ferir a privacidade)
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público AlvoQuaisquer cidadãos, mas em especial trabalhadores de serviços especiais/essenciais. Publico em geral
Video do DesafioNenhum.
 
D026 - NOME DO DESAFIO EM BUSCA DAS BOAS IDEIAS
Nome do ProponenteEdnylton Franzosi
JustificativaQuando somos desafiados sabemos dar respostas. Aplicação de IA e análise de sentimento para reunir bons projetos e ideias publicadas nas redes sociais sobre o momento da COVID19 no mundo
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Educação, Meio ambiente, Informação
Público AlvoProver com informações órgãos governamentais e privados que lidam com saúde pública
Video do DesafioNenhum.
 
D036 - NOME DO DESAFIO VALIDAÇÃO DE FAKE NEWS
Nome do ProponenteEduardo Aparecido Roberti
JustificativaSabemos que muitas notícias a respeito do COVID-19 estão circulando por todas as partes em vários tipos de mídia. A informação é um item fundamental na prevenção, ajudando na conscientização e orientação de pessoas e consequentemente prevenindo novos casos salvando vidas. O número de fake news a respeito do COVID-19 cresce exponencialmente tanto quanto o número de casos. Sabendo disso, podemos aliar a computação e suas tecnologias disponíveis como inteligência artificial e computação científica, para criarmos um sistema computacional. O sistema receberá as notícias e utilizando de métricas validar, demonstrando sua relevância e os impactos que esta pode causar, podendo estabelecer uma correlação entre o crescimento no número de casos confirmados e o número de fake news divulgadas.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público AlvoTodos
Video do DesafioNenhum.
 
D054 - NOME DO DESAFIO MONITORAR O GRAU DE ISOLAMENTO DA SOCIEDADE ATRAVÉS DA QUALIDADE DO AR
Nome do ProponenteFelipe Pereira de Moura
JustificativaCom o aumento exponencial de casos de COVID19 e o sistema de saúde entrando em colapso, fica cada vez mais latente a necessidade do isolamento social. Contudo, os governos não estavam preparados para mensurar o "grau de isolamento" da população. A ausência de parâmetros prévios fez muitos governos recorrem a informações de empresas de sistemas operacionais de telefonia. Esses indicadores consideram os usuários como anônimos, no entanto, o trânsito dessa informação entre grandes corporações e governos sem base em procedimentos legais coloca em risco a segurança da informação e já é motivo de preocupação e debates. Sendo assim, faz-se necessário outros métodos que possam monitorar o grau de isolamento da sociedade por cidades e sem violar o direito a privacidade de cada cidadão. Para tal, algumas universidades e governos pelo mundo já iniciam trabalhos através do monitoramento de gases e partículas poluentes como monóxido de carbono, dióxido de nitrogênio ou ozônio troposférico, MP10 e o MP2,5. Diversos grupos nas universidades( inclusive o LISA UFF do qual faço parte) e órgãos ambientais possuem equipamentos para mensurar o IQA - Índice de Qualidade do Ar. A proposta desse desafio reside na união desses pesquisadores em todas as universidades e institutos de pesquisa e dos órgãos ambientais para catalogar todos os equipamentos disponíveis e pessoal fora dos grupos de risco que possam alocá-los com segurança, em seguida fazer um grande planejamento amostral das zonas de medição do IQA e passar os resultados das medições diariamente para os governos responsáveis e para a mídia com a finalidade de 1) Monitorar o grau de isolamento; 2)Mensurar a eficiência das politicas públicas de isolamento em cada cidade; 3)orientar novas políticas públicas; 4) Avaliar a relação da diminuição da poluição do ar com o número de casos de outras doenças respiratórias; 5)Avaliar a contribuição para a qualidade do ar dos deslocamentos e das atividades econômicas em cada região.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Meio ambiente, Informação
Público AlvoAcademia e Governos municipais e estaduais
Video do DesafioNenhum.
 
D056 - NOME DO DESAFIO AMBIENTE VIRTUAL DE TRABALHO, ASSISTÊNCIA, PESQUISA E INFORMAÇÃO DA FIOCRUZ
Nome do ProponenteTHIAGO MUNIZ DE LIMA
JustificativaA FIOCRUZ, com o seu eminente papel nesta epidemia reconhecido pela OMS, carece de ferramenta digital que se aproxime do trabalhador/pesquisador/cidadão (hoje um dos principais vetores do Sars-cov 2) e os instrua em nível informacional de forma integrada e concomitante.
Tendo um papel tão importante num momento sanitário ímpar, torna-se contraproducente e moroso para eficácia no combate a pandemia ter que compilar todas as informações para mitigar os efeitos da doença, produzir ciência, avaliar notícias falsas e manter pleno o cumprimento de todos as entregas, princípios e diretrizes do SUS, pois parte de suas atividades também encontra-se afetada pela pandemia.
A proposição deste desafio no HACKCOVID19 ou em outra chamada poderá proporcionar a sugestão de produtos das equipes competidoras que trarão ferramentas com foco em informações centralizadas do público alvo da pandemia e voltada a ele, de forma automatizada, evitando incerteza e diminuindo a necessidade de consultar outras bases de dados/informações, uma vez que os dados estarão centralizados neste ambiente.
O Desafio é construir um App e Web App para trabalhadores da Saúde (tanto na linha de frente quanto na continuidade dos serviços do SUS, hoje tão afetados pela pandemia) prestarem seus serviços junto aos usuários do SUS, trocarem suas experiências e definirem através do controle de versões (voip, videoconferência dentre outras tecnologias, poderemos detalhar) protocolos determinantes para: Prevenir o contágio, combater a doença, reduzir a mortalidade por Covid-19 (e outras em consequência do distanciamento, quarentena e sobrecarga dos sistemas de saúde), prestar o serviço de telemedicina e telessaúde nas várias especialidades hoje impedidas por estarem afetadas pela pandemia, levantar evidências, informar a população. Neste mesmo ambiente, trabalhadores, pesquisadores e usuários poderão coletar e relatar evidências partindo de uma base/repositório único.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público AlvoTrabalhadores dos serviços de saúde (tanto na linha de frente quanto na continuidade dos serviços do SUS, hoje tão afetados pela pandemia), usuários do SUS, cidadãos, governo, instituições de pesquisa, pesquisadores e instituições de saúde.
Video do DesafioNenhum.
 
D075 - NOME DO DESAFIO CAIXA RÁPIDO DE MÁSCARAS
Nome do ProponenteFrancisco do Nascimento
JustificativaÉ sabido que o uso de máscaras será um protocolo necessário para todos nós durante um tempo ainda indeterminado e sendo bem crítico e essencial para algumas atividades e setores. Poderíamos ter postos automatizados (totens) para entregar máscaras novas e receber máscaras usadas. Estes totens seriam colocados em pontos de muita movimentação como terminais de ônibus e metrôs, shoppings, etc. E poderiam cobrar taxas acessíveis como R$ 0,25.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público AlvoTranseuntes quaisquer
Video do DesafioNenhum.
 
D076 - NOME DO DESAFIO ACABAR COM AS FAKE NEWS
Nome do ProponenteVictor Carozo
JustificativaAs Fake News estão transformando a nossa sociedade, abalando democracias, ciências e até a realidade. Por isso precisam ser combatidas. Os grandes conglamerados da internet se movimentam muito devagar no combate desse mal. Por isso, precisamos desenvolver ferramentas eficazes, rápidas e gratuidas para o bem da humanidade.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público AlvoTodos
Video do DesafioNenhum.
 
D078 - NOME DO DESAFIO HIPERSALA DE SITUAÇÂO COVID 19
Nome do ProponenteEduardo Henrique de Arruda Santos
JustificativaCriação de um local/painel virtual de convergência de informações epidemiológicas, sanitário-assistenciais, socioeconômicas, e politico-institucionais e das ações de enfrentamento, monitoramento e de análise do contexto da Pandemia COVID- 19. O objetivo é o viabilizar e estabelecer espaço de convergência das diferentes fontes de acesso informacional ( agencias governamentais e multilaterais movimentos sociais, instituições públicas e privadas), chamadas (convocatórias, soluções propostas, selecionadas e/ou implementadas) Justificativa: Surgiram inúmeras iniciativas de coleta de projetos, desafios, problemas e soluções relacionadas ao contexto pandêmico da COVID-19 neste primeiro quadrimestre de 2020.. Há risco de desperdício de recursos e inefetividade de ações por falta de sinergia cognitiva, congruência informacional, operacional e decisória. Além disso, existem inúmeras fontes de dados e informações relacionadas ao contexto pandêmico ( OMS, Ministéirio da Saúde, Agencias internacionais, Instituições de Pesquisa, Movimentos da Sociedade Civil). Respeitando a importância e o potencial do caráter aleatório na produção de análises, ideias e soluções pertinentes propõe-se a criação de um portal que agregue as distintas iniciativas em nível regional, nacional e global . A iniciativa tem o potencial de contribuir com a convergência de dados, informações e conhecimento além de oferecer importante fonte analítica sobre o fluxo, a disponibilidade e as restrições de recursos (políticos, econômicos, cognitivos e organizativos) envolvidos no enfrentamento da pandemia
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Meio ambiente, Informação
Público AlvoAmplo, desde formuladores de politica , gestores, pesquisadores, tecnicos e cidadãos em geral.
Video do DesafioNenhum.
 
D090 - NOME DO DESAFIO MELLIERI HUMAN COVID-19 DETECTA
Nome do ProponenteZeh Soares Sobrinho
JustificativaA pandemia covid-19 cresce e esgota exponencialmente, começando pela saúde, todos os recursos.
O diagnóstico é um exemplo. A medida que o diagnóstico é impreciso, sub ou supernotificado começamos td errado.
in sheet. out sheet.
Com base em um projeto de economia circular voltado a reciclagem, parado pela pandemia, redirecionamos esforços iniciais em deep learning para detectar objetos, agora para detectar covid e outras patologias pulmonares (pneumonia, saars e etc) através de um modelo treinado em base deep learning pela inserção de raio x ou tomografia computadorizada de pacientes suspeitos de contagio pelo covid -19.

Entrega: Novo e Melhor Modelo Treinado nas plataformas usando as plataformas Teachable Machine e/ou google colab.
Agenda:
1 - Abrir a plataforma Covid-19.
https://covid-19.maida.health/casos?fitro=todos&page=2
https://maida.health/conheca-o-covid-19-maida-health/
2 - Abrir a plataforma Teachable Machine com o modelo Treinado Mellieri Human Covid-19 Detecta
https://teachablemachine.withgoogle.com/train
3 - Treinar o Modelo Mellieri Human de Rede Neural Convolucional para detectar o COVID-19 e outras doenças respiratórias em imagens de raios-X e tomografia computadorizada.
https://drive.google.com/file/d/1xj7eVUcH-UnmP0FI-oyQrYQfEhsHJTIL/view?usp=sharing
4 - Notamos que um paciente pode ter um misto de complicações respiratórias (Covid-19 + Pneumonia por exemplo).
Qual impacto disto nas pesquisas e soluções para combate ao covid-19 como vacinas em função do estágio da doença a exemplo do metadados anexos já que os diagnósticos podem ser únicos para cada paciente no tempo?
5 - Datasets:
Fornecer novos datasets de casos suspeitos e objetos de pesquisa, analisa-los sob o Modelo Mellieri Human
6 - Fontes e datasets utilizados no Modelo Mellieri Human
https://github.com/sobrinhosj?tab=repositories
7 - Sujeitar nossos resultados a estudos clínicos para validá-lo
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público Alvoprofissionais de saúde, clínicas, escolas, instituto de pesquisa públicos ou privados
Video do DesafioNenhum.
 
D099 - NOME DO DESAFIO OBSERVATÓRIO SOCIAL
Nome do ProponenteBárbara Katharinne Alves Borges Lessa
JustificativaA pretensão dessa proposta consiste em monitorar o território guanambiense concernente á população em situação de vulnerabilidade socioeconômica e os efeitos da pandemia do Covid-19. Sabemos que são lugares nos quais a implantação das medidas profiláticas não coaduna com as condições estruturais (físicas) e culturais, se consideramos os efeitos históricos da segregação social características da formação do povo brasileiro.
Nesse sentido o estudo em questão orienta-se para o desenvolvimento de um Observatório Social no intuito de mapear, monitorar, assessorar, elaborar e avaliar – à longo prazo – indicativos de um sistema de indicadores relativo à população em situação de risco, tendo em vista, as desigualdades na prevenção, propagação, adoecimento e suas consequências socioeconômicas e culturais, na exposição à vulnerabilidade, à violação de direitos e ao risco. A metodologia adotada infere que os dados colhidos sejam organizados numa plataforma digital de acesso público para apoiar a tomada de decisões, as funções de monitoramento, planejamento e avaliação e, futuramente a divulgação das ações alternativas convergentes à superação de quadros catastróficos de amplitude local e global. Além desse estudo preliminar é imperativo ofertas de oficinas preparatórias em parceria com o poder público e privado, para profissionalização e desenvolvimento da arte cultura (in)formativa, bem como em áreas de fomento à emprego e renda a curto prazo.
A produção dos dados obtidos pelo Observatório Social será substancial referência na área de gestão pública com o objetivo de subsidiar políticas públicas de fomento a equidade social de acesso e permanência aos meios preventivos e as atividades de desenvolvimento as competências cognitivas e emocionais, bem como a produção de conhecimentos e inovação basilados no novo paradigma de enfrentamento das formas de governança territorial existente.

A quem vai BeneficiarComunidade, Populações vulneráveis, Educação, Meio ambiente, Informação
Público AlvoEscolher entre os bairros periféricos no município de Guanambi/BA as situações de maior vulnerabilidade a partir de indicativos dos órgãos públicos municipais.
Video do DesafioNenhum.
 
D100 - NOME DO DESAFIO FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS PARA A CATALISAÇÃO DO AVANÇO RUMO A SEGURANÇA ALIMENTAR E A REDUÇÃO DE RESÍDUOS EM ÁREAS URBANAS E PERIURBANAS VULNERÁVEIS EM TEMPOS DE COVID-19
Nome do ProponenteBruno Pansera Espíndola
JustificativaA Novas Tecnologias da Informação e Comunicação (NTIC) vem tomando cada vez mais espaços nos setores produtivos no Brasil. Inicialmente na indústria e posteriormente na agricultura como na agri4.0. No entanto essas ferramentas, NTIC na agricultura, são aplicadas quase que exclusivamente no agronegócio deixando de lado a agricultura urbana e periurbana que é pilar fundamental para se atingir a segurança alimentar das populações em vulnerabilidade social. Esse cenário de cultivo se tornou ainda mais peculiar por conta do isolamento social e carece de ferramentas para auxiliar na gestão de hortas individuais, comunitárias isoladas ou em rede ambientalmente responsável. A condição de vulnerabilidade social já é indicativo da fragilidade do acesso de alimentos saudáveis por parte das famílias, a redução da renda familiar e da oferta de transporte público. O objetivo dessa proposta é criar uma ferramenta computacional integrada com aquisição de dados in loco para gerir de maneira inteligente o processo de fornecimento de insumos, das condições ambientais e de substrato, de cultivo e de distribuição de alimentos de origem vegetal proporcionando o acesso de comunidades vulneráreis a alimentos saudáveis com redução de resíduos líquidos e sólidos, amenizando as dificuldades de acesso a alimentos pela fração da sociedade mais prejudicada pela pandemia. O produto da proposta será um app, podendo ou não ser integrado com uma mini estação meteorológica de baixo custo, para gerir de maneira inteligente a produção urbana e periurbana de alimentos permitindo a interconexão entre hortas individuais, hortas comunitárias criando uma rede de produção e distribuição de alimentos de maneira solidária e sustentável. População vulnerável da periferia é o público alvo principal. O produto atrairá o interesse de ONGs, governos e indústrias do agronegócio que querem divulgar sua marca e/ou vender seus produtos.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Empresas e comércio, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente
Público AlvoComunidades periféricas em vulnerabilidade social.
Video do DesafioNenhum.
 
D111 - NOME DO DESAFIO ECO REDES: GESTÕES INTELIGENTES DE RESÍDUOS DOMICILIARES
Nome do ProponenteLuiz Henrique Silva dis Santos Bento
JustificativaCidades Inteligentes e Sustentáveis são aquelas que associam a tecnologia ao uso eficiente e equilibrado dos recursos, sejam eles naturais ou não. Diante disso, assume-se nesse desafio o conceito de sustentabilidade como “a resposta às necessidades humanas nas cidades com o mínimo ou nenhuma transferência dos custos da produção, consumou ou lixo para outras pessoas ou ecossistemas, hoje e no futuro”. (STERTHWAITE, 2004 – 27)

O desenvolvimento sustentável de uma comunidade deve então ser um caminho trilhado de forma individual e coletiva em prol da diminuição das desigualdades sociais e, consequentemente, possibilitando a equidade e preservação ambiental.
Por meio dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, em particular, o ODS 12 que trata especificamente dos padrões de produção e de consumo responsável, assegura-se o olhar, incentivo e promoção de atitudes em diversos campos sociais, chamando à responsabilidade e protagonismo de pessoas comuns, empresas e instituições públicas para racionalizar, reduzir, reciclar, reutilizar e diminuir o desperdício cotidiano.
Entretanto, em meio a pandemia, os focos de contágio, por meio dos resíduos produzidos e descartados de forma aleatória e sem os cuidados adequados, tornam a gestão de resíduos domiciliares uma questão urgente, principalmente em grandes cidades onde o contágio está ocorrendo de forma ainda mais acelerada.
Para o desenvolvimento e construção de uma gestão de resíduos eficiente e de impacto para esse momento de pandemia e posteriormente uma educação e conscientização social entorno dos padrões de produção e consumo sustentável, utiliza-se um dos conceitos de Cidades Sustentáveis, definida por Komminos (2006) a cidade digital é o espaço da comunidade digital, na qual é utilizada para facilitar e aumentar as atividades e funções tomando lugar juntamente com o espaço físico das cidades. Esse movimento ocorre a partir da fusão entre clusters de inovação e as cidades digitais, onde a criação de redes de conhecimento colaborativo e de acompanhamento online da produção de conhecimento potencializa os processos de inovação e tornam o ambiente físico dos usuários mais eficientes.
O autor ainda estabelece três níveis de organização para a construção de uma cidade inteligente. Para este desafio, o primeiro nível de organização será trabalhado. Nele, clusters produtivos, pensados a partir da reunião e do trabalho colaborativo de mão de obra criativa, qualificada e atenta aos problemas locais, em particular, a gestão de resíduos domiciliares produzidos e possivelmente contaminados durante esse período de distopia.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Educação, Meio ambiente, Informação
Público AlvoProfessores STEAM, programadores, designers e profissionais ligados ao desenvolvimento de aplicativos web para computadores, dispositivos móveis, tecnologias ou de interesse geral.
Video do DesafioNenhum.
 
D120 - NOME DO DESAFIO LIXO SUSTENTÁVEL
Nome do ProponenteHelio Cibreiros Jr
JustificativaTratamento inteligente para lixo doméstico e industrial com solução tecnológica. Reciclagem, reutilização, geração de energia e insumos.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público AlvoCidades e cidadãos
Video do DesafioNenhum.
 
D124 - NOME DO DESAFIO STT - SAÚDE TRANSPARENTE PARA TODOS
Nome do ProponenteWeverton Guedes
JustificativaA mídia tem usado dados (alguns até incorretos) sobre o COVID-19, bombardeando o cidadão com notícias a fim de alarmar a população à levar o caos. É de suma responsabilidade do governo trazer com transparência informações de onde está sendo investido cada centavo de imposto e consigo resultados.

Tal proposta é desenvolver um aplicativo para alcançar a margem dos 126,3 milhões de usuários brasileiros (dados de 2017, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de internet e entregar com esse aplicativo não apenas dados de doenças históricas, mas também das últimas décadas e atuais que são divulgados pelo Min. da Saúde.

Usando esse aplicativo eles poderão ver a evolução do sistema de Saúde do Brasil, verão se seus impostos estão sendo bem utilizados em suas cidades, municípios e estados, usarão para denunciar quaisquer problemas em locais públicos de Saúde e/ou locais que tragam perigo à saúde pública, como gases tóxicos, deslizamentos e outros.

Por fim, comparando tais dados, o brasileiro entenderá que não há motivos para caos ou pânico, trazendo para empresas com facilidade as áreas que necessitam de auxílio, que faltam tratamento ou mais remédios e todos saberão que há outras doenças necessitam dessa mesma intensidade de atenção que está sendo dada ao novo Corona Vírus.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Meio ambiente, Informação
Público AlvoBrasileiros, usuários de aplicativos, empresas, médicos, sistema de saúde.
Video do DesafioNenhum.
 
D131 - NOME DO DESAFIO CONECTAVID
Nome do ProponenteTuany Fernandes Valerio
JustificativaQual o problema a ser resolvido?
Não há um sistema universal de gerenciamento que equilibre a demanda de hospitais, por produtos usados no combate ao COVID19, com a oferta de produtos, produzidos por universidades e financiados por empresas.

Esse projeto visa apoiar, principalmente, os hospitais, ampliando as estratégias de controle, tratamento e diagnóstico do COVID19. Além dos hospitais, as universidades públicas serão beneficiadas, via aporte financeiro e de insumos, vindos de empresas dispostas a ajudar. Em resumo, será uma cadeia de benefícios, onde os interesses e necessidades de 3 agentes serão alinhados para alcançar um objetivo em comum: o combate ao COVID19 no Brasil.
De acordo com notícias que foram veiculadas em websites oficiais de algumas universidades nos últimos meses, bem como conversas com professores universitários, as universidades têm percebido uma crescente demanda por respiradores, protetores faciais, álcool em gel, entre outros produtos ou insumos. Entretanto, as universidades não estão conseguindo suprir essa demanda por falta de recursos financeiros.
Uma hipótese para a resolução do problema é que se houvesse o alinhamento de necessidades entre as universidades, os hospitais e as empresas, dispostas a ajudar, esse cenário poderia ser mais otimista.
Aplicabilidade pelo público-alvo: foi observado que algumas universidades estão disponibilizando informações, em seus websites, sobre como realizar as doações, porém um sistema único de gerenciamente poderia concentrar informações sobre a oferta e a demanda e otimizar a produção e os investimentos.
Viabilidade da construção: uma sugestão é que as universidades alimentem um banco de dados com a oferta (por exemplo, a capacidade de produção/tempo); os hospitais com a demanda por determinado produto (demanda diária/semanal/mensal); e as empresas com o aporte financeiro máximo que estão dispostas a oferecer.
Também, poderia ser explorada a comercialização por lotes. Por exemplo: a universidade X informa todos os detalhes técnicos e financeiros de determinado lote que será entregue a determinado hospital e as empresas escolhem o lote que querem financiar.
Considerando que há um sistema único de saúde no país (SUS), universidades públicas com estrutura de funcionamento semelhantes e empresas dispostas a ajudar voluntariamente ou motivadas pela manutenção de suas certificações, o projeto possui potencial para replicação/disseminação, bem como viabilidade de construção.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Meio ambiente
Público Alvohospitais, universidades e empresas
Video do DesafioNenhum.
 
D132 - NOME DO DESAFIO FORTALECIMENTO COMUNITÁRIO E SEGURANÇA ALIMENTAR
Nome do ProponenteNondas Ferreira da Silva
JustificativaHoje, diversos municipios tem grande parte da suas populações vivendo em comunidades rurais. Majoritariamente, os locais sempre apresentam pouca infraestrutura e acesso a tecnologias. A distância dos centos de ensino e pesquisa diminuem as oportunidades para que jovens possam treinar e aprender habilidade de gestão, empreendedorismo sustentável, e iniciar ideias para geração de renda em meio local.
Como gerar valor em se viver no campo, e ao mesmo tempo ter qualidade de vida, geração de renda e recursos naturais abundantes. Como promover a segurança alimentar, de pessoas que vivem em meio rural através de práticas agroecológicas ?
Dentro o desafio seria a implantação de hortas comunitárias, e em praças urbanas e comunidades rurais na forma de gestão compartilhada, com produção de hortaliças e plantas alimentícias, para consumo pela própria população aumenta a qualidade e quantidade de nutrientes que as pessoas ingerem em suas refeições.
Os canteiros teriam produção de diversos produtos, alface, couve, cebolinha, cenoura, salsa, rúcula, agrião, beterraba, oroponobis. As plantas a serem utilizadas devem ser de comum conhecimento da população, sendo valorizado o resgado do saber tradicional e hortaliças e ervas utilizadas.
O sistema teria um aplicativo para comunicação e gestão da produção, além disso, teria uma base de dados organizadas com a produção dos canteriros e famílias beneficiadas pelo projeto. O aplicativo seria importante para estimular a curiosidade dos jovens, que estão bem adaptos ao mundo digital, mas trazendo informações e conhecimento do que as hortas produzem, assim as pessoas poderiam saber o que cada comunidade tem produzido, quem são os agricultores, onde e como adquirir os produtos.
O projeto além de estimular a produção orgânica, visa a produção de uma composteira, assim, os produtos orgânicos usados pela população seriam reaproveitados e virariam compostos, para serem utilizadas na própria horta, reduzindo a produção de lixo urbano ou rural.
Uma equipe de jovens rurais iriam fazer a comunicação, produção de fotos e vídeos do dia adia das pessoas nas hortas, contando a historia e realizando coleta de informações de receitas tradicionais e divulgando em mídias e redes sociais, esses seriam os jovens comunicadores populares da região.



A quem vai BeneficiarComunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Meio ambiente, Informação
Público AlvoComunidades rurais e urbanas, jovens, agricultores e povos tradicionais.
Video do DesafioNenhum.
 
D136 - NOME DO DESAFIO MONITORAMENTO DO CONTÁGIO POR COVID-19 ATRAVÉS DE SISTEMAS DE AR-CONDICIONADO EM LOCAIS SUJEITOS À CIRCULAÇÃO PÚBLICA
Nome do ProponenteAldo Muro Junior
JustificativaA principal forma de contágio pelo COVID-19 é pessoa-a-pessoa, contudo, vírus envelopados como o COVID-19, podem perdurar no ambiente, incrementando a contaminação difusa.
Há possibilidade de propagação do COVID-19 em ambientes internos, sobretudo, quando há diversos indivíduos contaminados assintomáticos em circulação em ambientes fechados, com refrigeração forçada, cujo ar-atmosférico é reciclado, passando por dutos, filtros e tubos que podem conter o COVID-19, em um ambiente controlado cujas condições ambientais como temperatura fria, umidade relativa do ar baixa e pouca incidência de UV, criam um ambiente mais propício à sobrevida do vírus (LIU et al., 2020) (CONTINI, 2020).
O vírus 2003 SARS (O COVID-19 apresenta uma semelhança compreendida entre 98/99%, em relação ao SARS 2003, na sequência de identificação do vírus, cuja contaminação predominante se dá na forma pessoa-a-pessoa, ressaltando que a contaminação pelo COVID-19 pode ter ocorrência em hotéis e em locais públicos equivalente a que ocorre em hospitais.
Até o momento não há evidências concretas acerca da contaminação de pessoas via sistemas de refrigeração, devido à baixa incidência de publicações capazes de evidenciar a possibilidade de transmissão do vírus em ambientes fechados, daí a importância do presente projeto multidisciplinar para o avanço da ciência no combate à epidemia causada pelo COVID-19 e prevenção para outros patógenos que causem infecções contagiosas agudas.
Em locais públicos, como shoppings centers, cinemas, teatros, igrejas, navios e aeronaves, cujos ambientes internos são artificialmente ventilados ou refrigerados, carecem de sistemas de descontaminação e de adaptação de tecnologias para o sistema de ventilação e de refrigeração para o enfrentamento da nova situação de pandemia por Corona vírus, para limitar a circulação do ambiente contaminado pelo vírus e, assim, contribuir para a contenção da propagação da doença no mundo.
A forma de propagação do vírus no ambiente precisa ser melhor compreendida, pois a deposição do vírus em superfícies contaminadas e sua propagação por contato e pelo ar atmosférico, na forma de aerossóis poderá alterar a curva de contaminação pelo COVID-19, durante o período de isolamento social em ambientes hospitalares; e pós-isolamento social, mediante a transmissão do vírus por intermédio de sistemas de refrigeração, podendo ocorrer tanto em ambientes hospitalares destinados ao tratamento de pacientes infectados pelo COVID-19, como nos locais onde há aglomeração pública, com circulação de pessoas infectadas assintomáticas, como shoppings centers, teatros, cinemas, aeronaves, navios etc.
Certamente a pandemia pelo COVID-19 não será a última que se terá sobre o Orbe. Necessita-se, pois, avançar a fronteira do conhecimento científico sobre a forma de transmissão viral.
A quem vai BeneficiarMeio ambiente
Público AlvoDifuso (Toda a sociedade)
Video do DesafioNenhum.
 
D139 - NOME DO DESAFIO USO DA TECNOLOGIA DO PLASMA DA FUNDAÇÃO KESHE NA ERRADICAÇÃO E PREVENÇÃO DO COVID-19
Nome do ProponenteRafael Alves Farias Teixeira
JustificativaComo uma organização científica, a Fundação Keshe vem desenvolvendo a tecnologia espacial há mais de 20 anos. Uma de suas áreas de desenvolvimento é o processamento de infecções por vírus, como foi feito e documentado na China no ano passado com a Febre Suína Africana. A tecnologia da Fundação Keshe pode prevenir a propagação de todos os vírus, esterilizar áreas contaminadas e, em geral, parar o movimento desta crise de Pandemia de Coronavírus, como está sendo feito atualmente no Irã.

A tecnologia da Fundação Keshe pode ser implementada rapidamente, para impedir a propagação e transmissão do vírus em aeroportos, portos costeiros, ou quaisquer outros pontos de entrada de fronteira. Além disso, ela pode proteger todas as áreas públicas, tais como escolas, instituições, hospitais e transportes públicos.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Educação, Meio ambiente
Público AlvoEscolas, instituições, hospitais, aeroportos, portos costeiros e transportes públicos
Video do DesafioNenhum.
 
D146 - NOME DO DESAFIO SMART FACE SHIELDS
Nome do ProponenteNewton Fukumasu
JustificativaA necessidade de EPIs pelos agentes hospitalares ficou mais evidente durante essa pandemia, sendo de vital importância para se evitar a contaminação dos profissionais de saúde no atendimento dos pacientes. Nesse âmbito, desenvolver um sistema com propriedades auto-bactericidas e viricidas se torna importante para evitar a propagação de contaminantes durante o uso do EPI, além de facilitar sua limpeza e recondicionamento para o uso contínuo, diminuir a necessidade de reposição, manter o profissional mais protegido e diminuir a poluição do meio ambiente pelo descarte incorreto.
A quem vai BeneficiarSaúde, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Meio ambiente
Público AlvoProfissionais de saúde, comunidade em geral.
Video do DesafioNenhum.
 
D152 - NOME DO DESAFIO COMPUTAÇÃO SOCIALMENTE SUSTENTÁVEL
Nome do ProponenteAllan Felipe Brochier dos Santos da Silva
JustificativaPiora da distribuição de renda e compras no varejo na sociedade pós covid19.

Injustiça social e enriquecimento apenas dos gigantes da nuvem - varejo centralizado em 1% das lojas.

Na atual e futura arquitetura de computação na nuvem o preço é o único fator que importa.
Com o advento de containers, microservicos e frameworks bem definidos todos os serviços terão alta qualidade, segurança, performance e disponibilidade , isso é inevitável.

A diferença será apenas o preço. quanto mais barato o megabyte mais esse serviço será utilizado, semelhante ao mercado do algodão, cana de açucar, carvão e petroleo.

O desafio seria criar um novo índice no preço, um atributo nos serviços distribuídos. Atualmente temos disponibilidade e velocidade, teríamos um novo índice, o de responsabilidade social do megabyte.

Isso implica em um novo tipo de característica no parâmetro do serviço. O que seria utilizado para medir esse índice:
- Fonte da energia elétrica para manter a infraestrutura cloud
- Responsibilidade social e ambiental da empresa que desenvolveu o serviço cloud,
- Investimentos em pesquisa e desenvolvimento da empresa

Parte do faturamento das empresas cloud com notas inferiores seria repassado para empresas com notas melhores nesse índice.

Possível implementação da solução: colocar nos tokens de autenticação cloud a "nota verde". Quando o certificado digital é emitido para empresa ele vai junto a "nota verde", isso é propagado por toda cadeia JWT do serviço cloud e assim podemos ver quais chamadas distribuídas são mais verdes que outras.

Por exemplo: uma startup em uma vila carente teria uma nota de responsabilidade social muito maior que uma gigante que fica no prejuizo apenas para monopolizar o mercado.
Imaginem essa possível "nota verde" como um serviço de distribuição de megabytes na nuvem para evitar que toda internet fique monopolizada em apenas um provedor.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Empresas e comércio, Meio ambiente, Informação
Público Alvosociólogos, desenvolvedores de software livre, pesquisadores, comunidades carentes, pequenos empresários, ambientalistas, desenvolvimento sustentável.
Video do DesafioNenhum.
 
D153 - NOME DO DESAFIO ATENÇÃO AO MATERIAL PARTICULADO E COVID-19
Nome do ProponenteCaroline Lopes
JustificativaRecentemente foi divulgado um estudo informando que o covid-19 pode se "acoplar" aos poluentes atmosféricos e aumentar seu tempo de """vida""" no ar. Talvez fosse interessante um app que alertasse a população sobre os níveis de poluição atmosférica da região que elas moram/ estão presentes. Seja lá para que elas reforcem a proteção (usar máscara em casa?) e higienização, ou reduzir o tráfego de veículos na região,etc. Sei que existem apis que sinalizam os níveis de poluição atmosférica.


Aqui um estudo sobre como poluição atmosférica por si só já "sobrecarrega" o sistema de saúde: https://www.saudeesustentabilidade.org.br/wp-content/uploads/2017/05/GP_ISS_Relatorio_ImpactosOnibusSP-1.pdf

E aqui uma reportagem sobre o novo estudo: https://observador.pt/2020/04/24/coronavirus-encontrado-em-particulas-suspensas-no-ar-poluido-no-norte-de-italia/
A quem vai BeneficiarMeio ambiente
Público AlvoÓrgãos públicos.
Video do DesafioNenhum.
 
D154 - NOME DO DESAFIO RESÍDUOS X COVID-19
Nome do ProponenteCaroline Lopes
JustificativaHá alguns locais onde a coleta seletiva de lixo não chega, por serem muito estreitos etc, e a população acaba jogando o lixo na rua. Toda insalubridade ajuda a propagar vírus, então, seria interessante maneiras de acelerar o gerenciamento de resíduos sólidos em locais onde eles não são tratados.
Incentivar/educar a população a separar lixo.
"Pontuar" a região por ter alto nível de separamento de lixo (orgânico x não orgânico) e compensar com desconto em algum tipo de conta ou alguma outra recompensa.
Definir locais de coleta de lixo.
Obter/adaptar veículos para que consigam entrar nesses locais e recolher o lixo.
Ex. Bicicleta motorizada com uma espécie de "bagageiro" na traseira, como se fosse uma pequena "caminhonete", mais estreita e alta.
Incentivar cooperativas de reciclagem/ cooperativas de produção de adubo. Crescer a economia circular.
A quem vai BeneficiarSaúde, Populações vulneráveis, Educação, Meio ambiente
Público Alvoórgão públicos, startups
Video do DesafioNenhum.
 
D161 - NOME DO DESAFIO GASTRONOMIA NA TERCEIRA IDADE
Nome do ProponenteHelvio MatznerR
JustificativaPlataforma virtual com aulas de culinária administradas por professores de culinária na Universidade UNA onde a terceira idade irá participar ONLINE onde a interatividade com suas receitas serão registradas em um livro. A organização e a apresentação das aulas estarão por conta de Helvio Matzner. A mentora do projeto Instituto Ãnima estará auxiliando a produção.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público AlvoTerceira idade
Video do Desafio
 
D176 - NOME DO DESAFIO LIXO SEGURO OU RESÍDUO BIOLÓGICO SEGURO
Nome do ProponenteWéltima Teixeira Cunha
JustificativaA COVID 19 é um fato mundial ou melhor globalizado, e a saúde pública deve ficar atenta
para o cuidado de todos os cidadãos, no sentido de evitar o contágio. Sabe-se que essa
doença assustadora é de transmissão rápida e atinge as pessoas que estão expostas ao
vírus, e este se encontra nas secreções das pessoas.
Nesse sentido, é importante destacar que nesse momento de isolamento, distanciamento
social e quarentena as pessoas estão produzindo muito lixo contendo objetos e artigos de
uso pessoal com grande possibilidade de estarem contaminados, haja vista, que a
população não está sendo testada, mesmo aquelas que apresentam sintomas iniciais da
COVID 19.
Por esse ângulo, os trabalhadores, de coleta de lixo residencial ou urbana, estão expostos às máscaras e outros artigos contaminados, que são descartados junto com o lixo comum ou doméstico, bem como outros objetos que são manipulados pela população considerada assintomática da COVID 19.
Acredita-se que nenhuma medida foi tomada a esse respeito, então, a vida, desses trabalhadores, está em risco e eles continuam à margem dessa sociedade excludente. Nesse sentido, é importante que tenham ações para preservação da vida desses trabalhadores vulneráveis.
Visto que esse tipo de atividade laboral potencializa ainda mais a vulnerabilidade ao CORONAVÍRUS, pois esses trabalhadores residem em área de risco e, portanto, são desprovidos de justiça social.

A saúde coletiva tem o compromisso de dar atenção a esses trabalhadores que são isolados, naturalmente, pela nossa sociedade, e, mesmo em tempo de pandemia, o isolamento social não é possível, pois exerce atividade essencial e sem os cuidados devidos. E um deles está diretamente relacionado ao trabalho de coleta de resíduo ou lixo, que no momento atual, está contaminado de resíduo biológico.

Portanto a proposta intitulada LIXO SEGURO OU RESÍDUO BIOLÓGICO SEGURO tem o objetivo de criar mecanismo em que o poder público possibilite SACOS PADRONIZADOS COM O SÍMBOLO DA COVID 19, para que durante a coleta, os trabalhadores possam usá-los
revestindo os sacos de lixo, encontrados nas calçadas e pontos de coleta, nos municípios.
A quem vai BeneficiarMeio ambiente
Público AlvoTrabalhadores de coleta de lixo urbano
Video do DesafioNenhum.
 
D187 - NOME DO DESAFIO APLICATIVO PARA CRIAÇÃO DE MEMES EDUCATIVOS
Nome do ProponenteLuciano Milhomem
JustificativaExistem centenas de "meme makers" disponíveis, mas todos têm estilo brincalhão. Falta um que permita a criação de memes sérios, mesmo que leves, para orientar adolescentes e jovens sobre saúde, meio ambiente, consumo consciente etc.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público AlvoJovens e Adolescentes.
Video do DesafioNenhum.
 
D195 - NOME DO DESAFIO PRODUÇÃO DE SABÃO EM BARRA A PARTIR DE ÓLEO DAS LANCHONETES
Nome do ProponenteHéllyka Angélica Vieira Marques Gomes
JustificativaA população de rua, periferias não tem acesso fácil a itens básicos de higiene como sabão. Tendo em vista que restaurantes e lanchonetes estão em funcionamento durante a pandemia, e que durante o funcionamento produzem resíduos de óleo e outras gorduras; seria de grande valia a contribuição deles para o combate à COVID.
A quem vai BeneficiarSaúde, Populações vulneráveis, Meio ambiente
Público AlvoMoradores de rua e favela
Video do DesafioNenhum.
 
D200 - NOME DO DESAFIO GOVERNATIVA
Nome do ProponenteHelio Craveiro Pessoa Junior
JustificativaEstamos em Covid-19. A etiopatologia inflamatória e ansiogênica vem sendo cada vez mais evidenciadas. Sabendo disso, nos ocupamos em azeitar a governança sobre plantas medicinais. Pelas propriedades antiinflamatórias: Zingiber officinale, Echinacea purpurea, Curcuma longa e Borago officinalis; pelas propriedades ansiolíticas: Hypericum perforatum, Passiflora incarnata, Valeriana officinalis, Piper methysticum, Melissa officinalis, Calendula officinalis e Morinda citrifolia.
Nesse recorte, o termo governativa expressa um workflow ecosystem que integre as funcionalidade do apoio ao cultivo e ao cuidado com fitoterápicos, o que passa pela criação e uso de índices de governança e participação social sobre estas ervas com atuação sobre estes agravos. Descrevemos aqui uma aporte telemático para uma governança descentralizada, seja manejo pessoal (em horto pessoal), manejo comunitário (em horto comunitário) ou manejo oficial (em horto oficial). Descrevemos um Cloud Flow Design que suporte um repertório, um memento fitoterápico, considerando o saber popular no estabelecimento duma sala de situação farmacoepidemio e farmacovigil; um sistema de garantia que incorpore as boas práticas de manejo e administração de fitoterápicos associados. Um desenho que contemple uma integração de funcionalidade de aplicações mobiles (Play Store), complementos para plataformas nas nuvens (G Suite Marketplace) e suplementos para navegadores (Chrome Webstore); um desenho que, partindo do Padrão de Registro de Metadados ISO/IEC 11179, instrumente a inspeção sanitária interpares e a emissão de laudos de qualidade.
Para a criação de melhores relacionamentos entre a organização e seus stakeholders, um passo primeiro é o processo de modelagem de dados, que exige das organizações o descobrimento do modo como seus dados se encaixam e quais saõ as diferentes responsabilidades derivadas. Nessa casuística, o desdobramento do capital intelectual para o capital estrutural passa pela criação de uma cultura do uso de indicadores de processo, qualidade e desempenho de dados, pela definição de boas práticas em gerenciamento de dados. Neste intuito, destacamos 19 serviços mobiles ou nas nuvens. São eles: 7 aplicativos para a plataforma android: Memento Database (MementoDB Inc.), Scan-IT to Office (TEC-IT), Rapid Inventory (TEC-IT), Insightly CRM (Insightly Inc.), Leitor de QR Code (TWMobile) e Authy 2-Factor Authentication (Authy), Ethereum Block Explorer (ApprovedApps); 1 complemento para Google Calendar: Workfront for G Suite (Workfront); 4 complementos para Google Forms: Ultradox (loreysoft) Data Director (AJ Add-ons) e Form Builder (Jivrus Technologies) e Kloudio (Kloudio); e 7 complementos para Google Sheets: KPIBees - Import API, MySQL, Google Analytics (KPIBees), Export Sheet Data (Chris Ingerson), Drive Explorer - Google Drive on Sheet (Ganapathy S), QR Code Generator (INNOVA apps), Scan-IT to Office (TEC-IT), Blockchain For Sheet (Squadx), Sheet Director (Jivrus Technologies).
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Meio ambiente
Público AlvoEquipes envolvidas com a manutenção de serviços e aplicativos governamentais como ATER Cadastro, e-SUS AB Atividade Coletiva, e-SUS AB Território, Meu digiSUS, SNVS, SNCM ou SNGPC
Video do DesafioNenhum.