Área: Empresas e comércio
05/16/2020, 17:10:48
D002 - NOME DO DESAFIO RECEITA ONLINE
Nome do ProponenteIgor Raphael Lins Cavalcante
JustificativaViabilizar o acesso à medicação controlada através de emissão de receita médica por meio eletrônico.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio
Público AlvoPessoas que façam uso de medicação controlada, Médicos, Farmácias e instituições de Saúde que possam fazer usufruto das informações geradas por esse sistema
Video do DesafioNenhum.
 
D016 - NOME DO DESAFIO APLICATIVO DE ENTREGAS
Nome do ProponenteAline Os (Aline Oliveira e Riera)
JustificativaDiante da atual crise pandêmica, milhares de pessoas estão recorrendo ao trabalho de entrega de encomendas utilizando a bicicleta. A ideia é desenvolver um aplicativo que, diferente dos atuais em uso, seja exclusivamente voltado para mulheres e pessoas LGBTQs, e que a maior parte da taxa de entrega seja destinado a este público (a proposta é que seja pago de 50 a 70%, contra os 30 a 40% dos aplicativos em uso).
A quem vai BeneficiarPopulações vulneráveis, Empresas e comércio
Público AlvoMulheres e pessoas LGBTs e todos os interessados em entregas à domicílio
Video do DesafioNenhum.
 
D018 - NOME DO DESAFIO AUTOMATIZAÇÃO DO REGISTRO DE ENTREGAS COM RESPEITO AOS LIMITES DE DISTANCIAMENTO
Nome do ProponenteVívian Medeiros
JustificativaNo cenário atual é crescente a compra de produtos online. Esse tipo de comércio depende da área logística, que tem em seu final da cadeia a entrega do produto. É importante nesta etapa que o entregador possa registrar a entrega para comprová-la. Antes da crise do coronavírus, o registro era feito principalmente através do recolhimento da assinatura do recebedor.
Como a COVID-19 é transmitida principalmente por meio do contato de gotículas respiratórias, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que as pessoas mantenham uma distância de um metro e meio umas das outras. Esse distanciamento dificulta o registro das entregas via assinatura convencional. Além disso, o uso da mesma caneta ou do mesmo dispositivo móvel por várias pessoas para a realização das assinaturas também traz risco de contágio.
A maioria das entregas ainda exige a assinatura. Algumas empresas vêm realizando esforços para evitar o contato entre o entregador e o recebedor, mas no geral verifica-se que elas optaram por formas de registro que podem ser burladas. Por exemplo, em entregas da Amazon o entregador pode deixar a encomenda na porta e se afastar, solicitando ao recebedor somente o número de seu documento para o registro [1].
Temos como desafio a criação de um sistema confiável de registro de entregas que permita o respeito à distância recomendada pela OMS. Esse sistema precisa ser de fácil uso por parte do entregador e, nesta ponta, pode ser desenvolvido um aplicativo para dispositivos móveis. Idealmente o sistema não deve depender do uso da internet no momento da entrega, pois ela pode se dar em locais onde a rede esteja indisponível.
O desenvolvimento do sistema deve considerar sua utilidade ao término do distanciamento social, de forma a garantir a automatização do registro de entregas mesmo após esse período.

[1] Amazon. Perguntas frequentes sobre pedidos e a COVID-19. https://www.amazon.com.br/gp/help/customer/display.html?nodeId=GDFU3JS5AL6SYHRD Visualizado em: 28 de abril de 2020.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Grupos de risco, Empresas e comércio
Público AlvoEmpresas que realizem vendas on-line ou por telefone, empresas de entregas e pessoas físicas que realizam entregas de produtos como, por exemplo, motoboys.
Video do DesafioNenhum.
 
D019 - NOME DO DESAFIO O DESEMPREGO DURANTE E PÓS PANDEMIAS
Nome do ProponenteADRIANA CAMARGO
JustificativaEsta pandemia trouxe uma nova forma de ver o mundo, as relações entre as pessoas, os modelos de negócio, a forma de trabalhar, o impacto no meio ambiente. Parece que finalmente vamos entender o quão interdependentes nós somos.
Como um dos resultados práticos, temos um grande aumento de desempregados além de uma tradicional falta de qualificação da nossa mão de obra.
Então o desafio colocado é pensar em novos modelos de negócios, economia mais colaborativa e regional, e na qualificação dos profissionais frente as novas demandas que as novas tecnologias/profissões estão trazendo.
A quem vai BeneficiarComunidade, Empresas e comércio, Educação
Público AlvoTodos
Video do DesafioNenhum.
 
D020 - NOME DO DESAFIO HIGIENIZAÇÃO DAS COMPRAS DOMÉSTICAS
Nome do ProponenteADRIANA CAMARGO
JustificativaIndependente do vírus, devemos aumentar o hábito de higienizar todas compras, não só legumes, frutas e folhas, que tínhamos hábito de higienizar no momento do uso. Agora devemos higienizar tudo que chega do supermercado, incluindo os produtos de limpeza, antes de ir para geladeira ou despensa, entretanto o desafio é que nem todas embalagens são laváveis, bem como lavar tudo leva um bom tempo.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Empresas e comércio, Meio ambiente
Público AlvoTodos
Video do DesafioNenhum.
 
D021 - NOME DO DESAFIO PLATAFORMA DE COOPERAÇÃO SOCIAL
Nome do ProponenteMarcelo Pereira de Souza
JustificativaCriar uma plataforma para conectar pessoas necessitadas com as fontes de recursos.
O público alvo seria pessoas em situação de isolamento, em estado de vulnerabilidade social, econômica ou psicológica, bem como pequenas empresas que necessitam fazer seu negócio girar mas possuem dificuldades de acesso aos seus potenciais clientes.
Baseia-se em um aplicativo para celular ou computador com características semelhantes aos aplicativos de encontros ou de ensino à distância, onde o usuário pode procurar ajuda de acordo com sua necessidade, dividido em canais: Econômico, Saúde, Pessoal, Profissional, etc.
Exemplo:
Profissional: Pessoas ou pequenas empresas cadastradas, ofertando produtos ou serviços, segmentados por região.
Pessoal: Pessoas em estado de ansiedade podendo interagir com psicólogos, terapeutas, ou mesmo com outras pessoas para obter algum conforto.
Econômico: Seriam formados por 3 grupos: o das pessoas que cadastram suas necessidades (alimentos ou remédios), o dos fornecedores (que também fazem entregas) que ao ver a mensagem sinaliza que possui o pedido e informa o valor, e o grupo formado pelas pessoas que pagarão pelo pedido.
Saúde: Usuários receberiam orientações de profissionais de saúde cadastrados sobre procedimentos de profilaxia ou identificação de sintomas.
Outra possibilidade, seria a obtenção de informações sobre hospitais próximos a sua localidade, com disponibilidade de consultas, vagas de leitos, etc fornecidas pelas unidades de saúde conectadas ao sistema, ou por algum órgão centralizador.
Os atendimentos poderiam ser personalizados, em forma de chamadas de vídeo ou de áudio ou orientações em mensagens gravadas.
Por sua característica modular, novos canais podem ser adicionados à plataforma para suprir novas necessidades. Por exemplo, um canal de informações com dados ambientais, sobre programas de ajuda do governo,etc
Para minimizar o desenvolvimento, pode-se reconhecer recursos de comunicação disponíveis no equipamento dos usuários.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Informação
Público AlvoTodos em situação de isolamento
Video do DesafioNenhum.
 
D025 - NOME DO DESAFIO MONITORAMENTO DE CONTACTANTES DE COVID19 POR BLUETOOH
Nome do ProponenteAbel Alves Rosa Jr
JustificativaUm dos maiores desafios durante a pandemia de COVID19 é o monitoramento de casos assintomáticos e seus contactantes. Pessoas infectadas pelo SARS-COV-2 ainda assintomáticas que venha a se tornar sintomáticas e identificam que estão contaminadas pelo vírus, podem ter entrado em contato com dezenas ou até centenas de pessoas nos últimos dias antes da identificação da infecção. Um app para smartphones que utilizaria a tecnologia Bluetooh (proximidade) para eventualmente avisar que uma pessoa entrou em contato próximo com outra pessoa com confirmação da infecção por SARS-COV-2, mesmo dias após o contato. Avisaria dos dias em que entrou em contato, qual foi a proximidade (bluetooh).

Esta estratégia não utilizaria GPS ou rastreamento das pessoas (privacidade) e seria de uso voluntário porem com incentivo dos orgãos sanitários. O uso do mesmo pode ser encarado pelos cidadãos como um escudo/arma defensiva contra a infecção e reforçaria orientações de isolamento/higiene e etiqueta respiratório.

O uso do app instalado no celular e em uso constante pode ser utilizado como ferramenta de permitir a volta progressiva dos serviços/comercio em geral, transporte público, entrada em lojas e comércios, aulas e eventos presenciais que tendem a voltar aos poucos.

Será útil na segunda e terceira onda do COVID19.

As utilidades desta tecnologia são as mais diversas, auxiliando no monitoramento de casos positivos e contactantes (sem ferir a privacidade)
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público AlvoQuaisquer cidadãos, mas em especial trabalhadores de serviços especiais/essenciais. Publico em geral
Video do DesafioNenhum.
 
D028 - NOME DO DESAFIO SOLUÇÃO "APP-FREE" PARA A SAÍDA GRADUAL E MONITORADA DO ISOLAMENTO SOCIAL ENQUANTO DURAR A COVID-19 NO BRASIL, AMÉRICAS E NO MUNDO
Nome do ProponenteMaria Sharmila Alina de Sousa.
JustificativaHá muitas pessoas de diversos contextos sociais sem acesso a smartphones e mesmo telefones-celular que ficariam de fora deste rastreamento. Portanto, é urgente elaborarmos soluções de baixa densidade tecnológica que os serviços de saúde e sociais já utilizam em diversos contextos e países para mediar comunicação, identificação, mapeamento e monitoramento de pessoas afetadas por eventos de emergência, não apenas de saúde, como ambientais, etc. como SMS, agentes de saúde comunitários, assistentes sociais que fazem levantamentos e acompanhamento de pessoas dentro de seu território (sanitário) de atuação. Isto é urgente para evitar quebra dos direitos civis e humanos à privacidade (com as soluções de alta densidade tecnológica como os APPS em desenvolvimento por grandes empresas de TI e Big Data Analytics) e ético-regulatórias que podem causar maior desigualdades e iniquidades no Brasil e no mundo, em contextos onde as populações não tem acesso a conteúdos informacionais e tecnológicos que possam atender suas demandas por apoio estratégicos e oportunos durante o enfrentamento da COVID-19, enquanto a Organização Mundial da Saúde não anunciar o final da epidemia no Brasil, nas América e no mundo.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Informação
Público AlvoPopulação Brasileira (com ou sem CPF, RG, Número do SUS etc.).
Video do DesafioNenhum.
 
D036 - NOME DO DESAFIO VALIDAÇÃO DE FAKE NEWS
Nome do ProponenteEduardo Aparecido Roberti
JustificativaSabemos que muitas notícias a respeito do COVID-19 estão circulando por todas as partes em vários tipos de mídia. A informação é um item fundamental na prevenção, ajudando na conscientização e orientação de pessoas e consequentemente prevenindo novos casos salvando vidas. O número de fake news a respeito do COVID-19 cresce exponencialmente tanto quanto o número de casos. Sabendo disso, podemos aliar a computação e suas tecnologias disponíveis como inteligência artificial e computação científica, para criarmos um sistema computacional. O sistema receberá as notícias e utilizando de métricas validar, demonstrando sua relevância e os impactos que esta pode causar, podendo estabelecer uma correlação entre o crescimento no número de casos confirmados e o número de fake news divulgadas.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público AlvoTodos
Video do DesafioNenhum.
 
D043 - NOME DO DESAFIO CANTO LIVRE! NA QUARENTENA
Nome do ProponenteLaura Gubernikoff Guimarães
JustificativaMedo, solidão, ansiedade, estresse, preocupações, sensações e pensamentos que trazem enrigecimento físico e liberam substancias tóxicas no organismo e que se potencializam diante do que estamos vivendo com a manifestação do COVID19 no mundo. "Canto Livre! Na Quarentena" vai ajudar as pessoas a se reequilibrarem energicamente, liberando o fluxo respiratório, fazendo vibrar o corpo através do som, soltando a voz e o corpo para se manifestarem e expressarem de forma saudável, criativa e prazerosa. Cantar e dançar livremente, sozinho ou com outras pessoas em casa, vai abrir vias mentais e psicológicas para encontrar soluções práticas aos desafios que cada um está vivendo. Serão realizados atividades e exercícios de técnica vocal, respiração e expressão corporal, de canto e dança, para despertar e potencializar a criatividade de cada um, dentro de suas possibilidades e limitações. De maneira lúdica e consciente, poderemos nos auto-curar com a música e a arte.
A idéia é criar uma plataforma para que eu possa dar aula a um grupo de pessoas, que eu possa acompanhá-las realizando as atividades, que eu possa falar com todos ou separadamente com cada um, orientando-os em seu desenvolvimento. Compartilhar e criar imagens, musicas/sons - estímulos. Que o aluno tenha a opção de ver todos da turma ou apenas minha orientação, tendo a opção de apenas ouvir o audio ou ver imagem junto. Que ele não precise toda hora ir ao computador para fazer ajustes, que eu possa estar com cada um em suas necessidades.
A quem vai BeneficiarSaúde, Empresas e comércio, Arte, cultura e entretenimento
Público AlvoNão há restrição.
Video do Desafio
 
D045 - NOME DO DESAFIO CONECTANDO PACIENTES, MÉDICOS E FARMÁCIAS EM MOMENTOS DE ISOLAMENTO
Nome do ProponenteMarcio Portes De Albuquerque
JustificativaEm momentos de isolamento devido a pandemia, uma das maiores dificuldades é a realização de consultas médicas que necessitam da prescrição de tratamento por remédios. Uma prescrição é um documento que estabelece uma rotina de cuidados com a saúde, realizadas por um médico ou outro profissional de saúde qualificado, voltadas para um paciente. Existem hoje alguns aplicativos (para várias plataformas computacionais) que conectam médicos a pacientes, mas nenhum deles conecta os mesmos com as farmácias, ou ainda apresenta documentos com as bulas dos medicamentos ajudando na validação das prescrições de tratamento.
Este momento traz uma dificuldade adicional, principalmente para remédios controlados. O desenvolvimento de Apps poderia trazer uma inovação significativa e que teria uso além dos momentos atuais de pandemia, e seriam também uma facilidade para validação das prescrições pelas farmácias. A tecnologia exigiria recursos de segurança e criptografias na assinatura de documentos e no cadastro das partes envolvidas. Todas essas características já estão maduras neste momento, exigindo o foco no desenvolvimento da ferramenta em si. Diversas facilidades poderiam ser acrescidas como consultas virtuais, análises remotas por sofisticadas ferramentas de IA etc., mas a proposta inicial para o Hackcovid seria de conexão social.
Referências:
1) https://memed.com.br/prescricao-via-aplicativo
2) https://saude.estadao.com.br/noticias/geral,receita-medica-pode-ser-digital,70003266745
3) https://receitadigital.com/
4) https://www.england.nhs.uk/aac/what-we-do/how-can-the-aac-help-me/ai-award/
5) https://www.telegraph.co.uk/technology/2020/03/25/government-launches-whatsapp-coronavirus-chatbot-offer-health/
6) https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2020/05/01/plataforma-onde-tem-coronavirus-tenta-monitorar-casos-subnotificados-de-covid-19.ghtml
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Informação
Público AlvoA sociedade será a principal beneficiária das propostas para esse desafio. Os profissionais de desenvolvimento podem ser provenientes das áreas de computação e informática, engenharia ou ainda áreas medicas/tecnológicas - desenvolvedores com entendimento das ferramentas básicas (e.g. programação para aplicativos).
Video do DesafioNenhum.
 
D048 - NOME DO DESAFIO LIBRACODE
Nome do Proponentejonatas piassa de mattos mendes
JustificativaCriar um sistema de tradução de falas para libras, utilizando de ferramentas de programação, para assim facilitar a comunicação de pessoas públicas ou não, em suas redes/negócios. um exemplo disso são web Conferências, muitas vezes o público alvo de uma conferência pode ter necessidades especiais, assim nosso programa traduziria as linguagens para linguagem de sinais, fazendo com que toda rede de comunicações estejam abertas para conscientização ou até mesmo avisos importantes. pode ser também usado na educação com alunos com necessidades especiais.
A quem vai BeneficiarComunidade, Empresas e comércio, Educação, Informação
Público Alvopessoas com necessidades especiais ou pessoas que fazem comunicados regularmente.
Video do DesafioNenhum.
 
D055 - NOME DO DESAFIO BIOWARE PARA DIAGNÓSTICO COVID-19
Nome do ProponenteFábio Eduardo Boschi
JustificativaA ideia da criação do que denominei de bioware (hardware e software destinados à integração com dados de saúde/orgânicos do usuário do dispositivo) é a de, utilizando-se tecnologias análogas hoje já existentes, porém ainda não integradas, criar um dispositivo acoplável a todo e qualquer telefone celular que, ao mesmo tempo, fizesse medição, por análise sanguínea (com fitas descartáveis, para uso único, o que já se utiliza largamente na medição caseira de glicemia), dos IgG e do IgM, como já ocorre no teste rápido de COVID-19, da presença de anticorpos relativos ao vírus (demonstrando, é claro, não o estado de saúde em si do paciente/usuário do bioware, mas sim que ele, obviamente, já teve contato com o vírus, em algum determinado momento), com medição, no mesmo equipamento, via luz (infravermelha), como já ocorre hoje com oxímetros comuns, do nível de oxigênio no sangue e também da pulsação. A fonte de energia seria, justamente, a bateria do celular, bem como integrar-se-ia com os próprios dados de saúde presentes no dispositivo móvel que o paciente permitisse disponibilizar para seu profissional de saúde, bem como para o governo, que poderia, a um turno, monitorar o estado de saúde em particular daquele paciente (avaliando-se IgG, IgM, saturação sanguínea, batimentos cardíacos; curvas no tempo com os dados do paciente, para aferição de evolução ou involução; necessidade de medidas outras, tais como ida imediata a um hospital); e a um segundo turno, com dados de localização, via GPS desse mesmo dispositivo móvel no qual o BIOWARE estivesse conectado, análise do entorno, do bairro, da cidade, do estado e do País, permitindo-se, além de cuidados com o paciente em si, melhores decisões sobre políticas púbicas cabíveis. Poderíamos partir do que hoje já temos, como medidores de glicemia, fitas-teste para uso único tanto para medição de glicose e também as do teste rápido do COVID-19, Apps que já existem de integração de dados de saúde, além dos dispositivos móveis em si.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Informação
Público AlvoTodos os cidadãos; poder público; médicos; hospitais; sistemas de saúde; laboratórios. Sociedade como um todo, em regra.
Video do Desafio
 
D056 - NOME DO DESAFIO AMBIENTE VIRTUAL DE TRABALHO, ASSISTÊNCIA, PESQUISA E INFORMAÇÃO DA FIOCRUZ
Nome do ProponenteTHIAGO MUNIZ DE LIMA
JustificativaA FIOCRUZ, com o seu eminente papel nesta epidemia reconhecido pela OMS, carece de ferramenta digital que se aproxime do trabalhador/pesquisador/cidadão (hoje um dos principais vetores do Sars-cov 2) e os instrua em nível informacional de forma integrada e concomitante.
Tendo um papel tão importante num momento sanitário ímpar, torna-se contraproducente e moroso para eficácia no combate a pandemia ter que compilar todas as informações para mitigar os efeitos da doença, produzir ciência, avaliar notícias falsas e manter pleno o cumprimento de todos as entregas, princípios e diretrizes do SUS, pois parte de suas atividades também encontra-se afetada pela pandemia.
A proposição deste desafio no HACKCOVID19 ou em outra chamada poderá proporcionar a sugestão de produtos das equipes competidoras que trarão ferramentas com foco em informações centralizadas do público alvo da pandemia e voltada a ele, de forma automatizada, evitando incerteza e diminuindo a necessidade de consultar outras bases de dados/informações, uma vez que os dados estarão centralizados neste ambiente.
O Desafio é construir um App e Web App para trabalhadores da Saúde (tanto na linha de frente quanto na continuidade dos serviços do SUS, hoje tão afetados pela pandemia) prestarem seus serviços junto aos usuários do SUS, trocarem suas experiências e definirem através do controle de versões (voip, videoconferência dentre outras tecnologias, poderemos detalhar) protocolos determinantes para: Prevenir o contágio, combater a doença, reduzir a mortalidade por Covid-19 (e outras em consequência do distanciamento, quarentena e sobrecarga dos sistemas de saúde), prestar o serviço de telemedicina e telessaúde nas várias especialidades hoje impedidas por estarem afetadas pela pandemia, levantar evidências, informar a população. Neste mesmo ambiente, trabalhadores, pesquisadores e usuários poderão coletar e relatar evidências partindo de uma base/repositório único.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público AlvoTrabalhadores dos serviços de saúde (tanto na linha de frente quanto na continuidade dos serviços do SUS, hoje tão afetados pela pandemia), usuários do SUS, cidadãos, governo, instituições de pesquisa, pesquisadores e instituições de saúde.
Video do DesafioNenhum.
 
D065 - NOME DO DESAFIO APLICATIVO DE VENDAS DE VOUCHERS PARA ENFRENTAMENTO DA CRISE DA COVID
Nome do ProponenteKaio César Faustino de Araújo
JustificativaDiante da dificuldade em que setores de bens e serviços se encontram para conseguir manter suas vendas enfrentadas pela paralisação de suas antividades devido a quarentena, muitas empresas estão articulando seu comércio para que não venham a falir ou fechar suas portas. Uma dessas alternativas de negócio que surge e hoje está em alta é a venda de vouchers, onde são ofertados serviços ou produtos sob venda antecipada com descontos atraentes para os clientes, que nos dias de hoje, buscam produtos e serviços que retribua maior razão de custo e benefício. A proposta de um aplicativo focado em vendas de vouchers surge para conectar ambos os públicos. Garantindo a sobrevivência do setor de mercado fragilizado com a pandemia e garantindo descontos para o consumidor.
A quem vai BeneficiarComunidade, Empresas e comércio
Público AlvoFuncionários e Vendendores que estejam passando por dificuldades financeiras na paralisação da pandemia e clientes que buscam promoções exclusivas.
Video do DesafioNenhum.
 
D069 - NOME DO DESAFIO GERAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS PARA OS SETORES DA CULTURA, ARTES E ENTRETENIMENTO.
Nome do ProponenteCarolina Ficheira
JustificativaProblema a ser resolvido:
1 -Problema: Gerar e manter renda para todos os agentes dos setores da cultura, artes e entretenimento.
2-Solução: Enquanto perdurar a crise humanitária e a crise econômica agravada pela Pandemia no setor cultural, proponho alteração da Lei 8313/91 para que as empresas usuárias da Lei reservem 1% do incentivo fiscal federal e os recursos sejam destinados ao Fundo Nacional de Cultural.
2.1 - Caberá aos legisladores, a alteração na Lei 8313/91, pelo menos para o momento de crise humanitária e pós COVID 19.
2.2 - Indica-se promover sensibilização dos agentes econômicos que se beneficiam do recurso incentivo, já que são os próprios que definem as produções artísticas que desejam patrocinar. Os dados dos agentes econômicos já estão disponíveis na plataforma Salic. Portanto, o Estado pode agir rapidamente para esta tomada de decisão.
2.3 - Entendo que o fator isolamento social é decisivo para o momento e deve ser respeitado. Portanto é critério escolhido.
2.3.1-Resultados: A partir dessa arrecadação, a Secretaria Especial de Cultura lança editais (no formato Prêmio) a todos os setores criativos, divididos por regiões do país, os quais não sejam focados no produto artístico construído (o que beneficiaria somente o artista nesse momento de isolamento social), mas no fazer laboral de todo os profissionais que atuam nos elos das cadeias produtivas: tais como artistas, cenógrafos, iluminadores, designers, figurinistas, maquiadores, técnicos de som etc..
2.3.2-Resultados: Os editais criados irão beneficiar os fazedores da cultura, mas a sociedade como um todo (comunidades, grupos em vulnerabilidade social e até o ambiente virtual escolar), a partir das peculiaridades de cada profissão, podendo o resultado ser físico, presencial ou virtual.
3 -Desdobramentos:
3.1 - movimentação na economia e a perpetuação de profissionais qualificados trabalhando na área.
3.2 - Incremento na qualidade de vida na sociedade.
O desafio é construir um sistema de Advocacy (defesa) da proposta de mudança da Lei 8313/91, que obrigue 1% do incentivo fiscal, oriundas de pessoas jurídicas (baseadas em lucro real) e de pessoas físicas (que fazem a declaração completa) sejam destinadas ao Fundo Nacional de Cultura. Para isso será desenvolvido uma plataforma tecnológica que facilite o acesso à informação, potencialize o engajamento e a mobilização de campanhas para influenciar os parlamentares a apoiarem esta alteração legal e a rápida tramitação, em função da urgência nesse momento de pandemia. Também será amplamente divulgado via mídia tradicional e redes sociais o desenvolvimento desta plataforma tecnológica bem como a necessidade de sua alteração legal.
Atrelado a isso, pode-se criar condicionantes em sistema ao uso proporcional dos recursos em cada Estado Brasileiro, em função da densidade populacional e o IDH. Desta forma se poderá construir (1) editais públicos, em formato de prêmios, para todos os membros da cadeia produtiva dos setores culturais, tais como cenógrafos, iluminadores, figurinistas, maquiadores, animadores e etc, a partir do uso isolado da tecnologia, através de conteúdo maker. (2) Consequentemente, podemos alimentar a cadeia produtiva do setor e respeitar, decisivamente, o isolamento social desses agentes culturais. (3)Incremento na qualidade de vida na sociedade (a comunidades, grupos em vulnerabilidade social e até o ambiente virtual escolar).
A quem vai BeneficiarComunidade, Populações vulneráveis, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento
Público AlvoProfissionais que alimentam as diferentes cadeias produtivas da cultura, artes e entretenimento.
Video do Desafio
 
D071 - NOME DO DESAFIO REDUZIR O RISCO DE CONTAMINAÇÃO PELOS SISTEMAS DE AR CONDICIONADO
Nome do ProponenteMauricio Costa Porto
JustificativaExistem evidências de que o vírus pode ser dissipado e aumentar a contaminação através de sistemas de ar condicionado.
A quem vai BeneficiarSaúde, Empresas e comércio
Público AlvoFrequentadores de prédios públicos, universidades, escritórios, áreas industriais e principalmente grandes hospitais ou estabelecimentos de saúde.
Video do DesafioNenhum.
 
D072 - NOME DO DESAFIO E-T0K3N
Nome do Proponentehttps://www.youtube.com/watch?v=S7sURCBV0Rk&feature=youtu.be
JustificativaOfertar para operadoras de programas de fidelidade uma solução amigável e interoperacional de cupons de desconto (eT0K3n-COinVID) aderente a qualquer plataforma de resgate em uso.
O eT0K3n-COinVID integra de forma fácil e segura lojistas, operadores e consumidores do ecossistema de Programas de Fidelidade no varejo em geral.
Outra característica importante do eT0K3n-COinVID é possibilitar a gestão dos estímulos econômicos para recuperação do comércio varejista no cenário atual e pós-crise dentro do ecossistema do cliente.
Qual é a diferença que o seu negócio pode fazer para o ecossistema empreendedor e inovador, para mitigar os problemas causados pela crise?
Nosso cupom de desconto universal tem alguns diferenciais, como a não exigência de reciprocidade no momento de uso e a possibilidade de sua utilização dentro do próprio ecossistema de fornecedores, parceiros e clientes ao qual pertence o comerciante. Isto reduz substancialmente a dificuldade da retomada dos negócios de forma geral, sem as barreiras comumentes impostas pelos processos utilizados nos serviços de fidelidade.
Trata-se de um conceito novo denominado Programa de Lealdade. Esta solução de Cupom Universal também permite ampliar o conhecimento da base de clientes.
A quem vai BeneficiarComunidade, Empresas e comércio
Público AlvoOperadoras de Troca de Programas de Milhagem, Shopping Centers e Nucleos comerciais de varejo e atacado
Video do Desafio
 
D073 - NOME DO DESAFIO OS SEM-SEM
Nome do ProponenteFrancisco do Nascimento
JustificativaExiste um grupo de pessoas que ficaram sem renda/sem trabalho e não se encaixam nos critérios para obtenção do auxílio emergencial do governo. Precisamos de uma solução para mapear esses perfis de pessoas para provocar novas ações das autoridades governamentais ou foco de empreendedores dispostos a agarrar uma oportunidade nova.
A quem vai BeneficiarPopulações vulneráveis, Empresas e comércio, Informação
Público AlvoGestores públicos e empreendedores
Video do DesafioNenhum.
 
D074 - NOME DO DESAFIO COMPUTADOR ACESSÍVEL
Nome do ProponenteFrancisco do Nascimento
JustificativaUm gargalo para a educação nessa fase é a utilização de atividades a distância com alunos que não tem computador adequado e conexão à Internet para acompanhar e realizar as atividades. Seria necessário um movimento conjunto de empresas montadoras, ações do governo para subsidiar e ações de PDI para projetar computadores e Internet de baixo-custo.
A quem vai BeneficiarComunidade, Populações vulneráveis, Empresas e comércio, Educação, Informação
Público AlvoEstudantes de baixa-renda
Video do DesafioNenhum.
 
D075 - NOME DO DESAFIO CAIXA RÁPIDO DE MÁSCARAS
Nome do ProponenteFrancisco do Nascimento
JustificativaÉ sabido que o uso de máscaras será um protocolo necessário para todos nós durante um tempo ainda indeterminado e sendo bem crítico e essencial para algumas atividades e setores. Poderíamos ter postos automatizados (totens) para entregar máscaras novas e receber máscaras usadas. Estes totens seriam colocados em pontos de muita movimentação como terminais de ônibus e metrôs, shoppings, etc. E poderiam cobrar taxas acessíveis como R$ 0,25.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público AlvoTranseuntes quaisquer
Video do DesafioNenhum.
 
D076 - NOME DO DESAFIO ACABAR COM AS FAKE NEWS
Nome do ProponenteVictor Carozo
JustificativaAs Fake News estão transformando a nossa sociedade, abalando democracias, ciências e até a realidade. Por isso precisam ser combatidas. Os grandes conglamerados da internet se movimentam muito devagar no combate desse mal. Por isso, precisamos desenvolver ferramentas eficazes, rápidas e gratuidas para o bem da humanidade.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público AlvoTodos
Video do DesafioNenhum.
 
D078 - NOME DO DESAFIO HIPERSALA DE SITUAÇÂO COVID 19
Nome do ProponenteEduardo Henrique de Arruda Santos
JustificativaCriação de um local/painel virtual de convergência de informações epidemiológicas, sanitário-assistenciais, socioeconômicas, e politico-institucionais e das ações de enfrentamento, monitoramento e de análise do contexto da Pandemia COVID- 19. O objetivo é o viabilizar e estabelecer espaço de convergência das diferentes fontes de acesso informacional ( agencias governamentais e multilaterais movimentos sociais, instituições públicas e privadas), chamadas (convocatórias, soluções propostas, selecionadas e/ou implementadas) Justificativa: Surgiram inúmeras iniciativas de coleta de projetos, desafios, problemas e soluções relacionadas ao contexto pandêmico da COVID-19 neste primeiro quadrimestre de 2020.. Há risco de desperdício de recursos e inefetividade de ações por falta de sinergia cognitiva, congruência informacional, operacional e decisória. Além disso, existem inúmeras fontes de dados e informações relacionadas ao contexto pandêmico ( OMS, Ministéirio da Saúde, Agencias internacionais, Instituições de Pesquisa, Movimentos da Sociedade Civil). Respeitando a importância e o potencial do caráter aleatório na produção de análises, ideias e soluções pertinentes propõe-se a criação de um portal que agregue as distintas iniciativas em nível regional, nacional e global . A iniciativa tem o potencial de contribuir com a convergência de dados, informações e conhecimento além de oferecer importante fonte analítica sobre o fluxo, a disponibilidade e as restrições de recursos (políticos, econômicos, cognitivos e organizativos) envolvidos no enfrentamento da pandemia
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Meio ambiente, Informação
Público AlvoAmplo, desde formuladores de politica , gestores, pesquisadores, tecnicos e cidadãos em geral.
Video do DesafioNenhum.
 
D088 - NOME DO DESAFIO TRAZER - MONITORAMENTO DE CONTATOS ENTRE AS PESSOAS
Nome do Proponentedavi martins
JustificativaIdentificar o risco do contato entre as pessoas baseado em geolocalização e nos sintomas e resultados de exames declarados.O aApp mostra no mapa, o rastro de movimentação de pessoas nos últimos 5 minutos, com base em geolocalização. Objetivo é ajudar na seleção de pessoas que devem fazer o exame e ajudar a saber quais locais devem ser evitados devido a movimentação de pessoas. App já está em fase de protótipo.
A quem vai BeneficiarSaúde, Empresas e comércio, Educação
Público AlvoTodos as pessoas
Video do DesafioNenhum.
 
D090 - NOME DO DESAFIO MELLIERI HUMAN COVID-19 DETECTA
Nome do ProponenteZeh Soares Sobrinho
JustificativaA pandemia covid-19 cresce e esgota exponencialmente, começando pela saúde, todos os recursos.
O diagnóstico é um exemplo. A medida que o diagnóstico é impreciso, sub ou supernotificado começamos td errado.
in sheet. out sheet.
Com base em um projeto de economia circular voltado a reciclagem, parado pela pandemia, redirecionamos esforços iniciais em deep learning para detectar objetos, agora para detectar covid e outras patologias pulmonares (pneumonia, saars e etc) através de um modelo treinado em base deep learning pela inserção de raio x ou tomografia computadorizada de pacientes suspeitos de contagio pelo covid -19.

Entrega: Novo e Melhor Modelo Treinado nas plataformas usando as plataformas Teachable Machine e/ou google colab.
Agenda:
1 - Abrir a plataforma Covid-19.
https://covid-19.maida.health/casos?fitro=todos&page=2
https://maida.health/conheca-o-covid-19-maida-health/
2 - Abrir a plataforma Teachable Machine com o modelo Treinado Mellieri Human Covid-19 Detecta
https://teachablemachine.withgoogle.com/train
3 - Treinar o Modelo Mellieri Human de Rede Neural Convolucional para detectar o COVID-19 e outras doenças respiratórias em imagens de raios-X e tomografia computadorizada.
https://drive.google.com/file/d/1xj7eVUcH-UnmP0FI-oyQrYQfEhsHJTIL/view?usp=sharing
4 - Notamos que um paciente pode ter um misto de complicações respiratórias (Covid-19 + Pneumonia por exemplo).
Qual impacto disto nas pesquisas e soluções para combate ao covid-19 como vacinas em função do estágio da doença a exemplo do metadados anexos já que os diagnósticos podem ser únicos para cada paciente no tempo?
5 - Datasets:
Fornecer novos datasets de casos suspeitos e objetos de pesquisa, analisa-los sob o Modelo Mellieri Human
6 - Fontes e datasets utilizados no Modelo Mellieri Human
https://github.com/sobrinhosj?tab=repositories
7 - Sujeitar nossos resultados a estudos clínicos para validá-lo
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público Alvoprofissionais de saúde, clínicas, escolas, instituto de pesquisa públicos ou privados
Video do DesafioNenhum.
 
D093 - NOME DO DESAFIO COMO ESTÁ A CORONAVÍRUS NA CIDADE ONDE MORA?
Nome do ProponenteCarlos Roberto da Silva
JustificativaDados sobre a COVID-19 são apresentados pelo ministério da saúde, que no geral apresenta dados sobre os estados, no entanto, na maioria das vezes a informação não é bem entendida pela população de modo geral. Sabemos que as informações e estatísticas sobre os casos da COVID-19 e suas projeções, permitem aos cidadãos entenderem,por exemplo a necessidade do isolamento em sua cidade e estado. Para facilitar o acesso a essas informações, propomos o uso de mídias digitais, como o acesso a redes sociais, por meio do celular, que atinge com facilidade um público de modo geral e rápido. Nesse sentido, urge tecnologias interativas que sejam apresentadas de forma dinâmica, por meio de aplicativos móveis e sites interativos, que aguçam a curiosidade da população e que permitam evitar a propagação notícias falsas.
Essas informações em tempo real e projeções, via dados estatísticos e probabilísticos disponibilizados por secretarias municipais e estaduais, mesmo diante da subnotificação, em razão da ausência de testes, permitem um melhor entendimento dos casos reais notificados via secretarias municipais e estaduais.Como exemplo, apresentamos uma animação do levantamento do número de mortes por 1 milhão de habitantes realizados pelo grupo ARCO disponível em 04/05 no canal do Youtube (https://www.youtube.com/post/Ugw11JxfoTZMKb2u8TF4AaABCQ).
Animações como essa poderiam ser realizadas, a partir de dispositivos móveis, para municípios e estados.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Informação
Público AlvoMunícipes de modo geral.
Video do DesafioNenhum.
 
D098 - NOME DO DESAFIO COVID-19 DETECTOR THROUGH X-RAY ANALYSIS
Nome do ProponenteMatheus Araujo
JustificativaUniversalizar a detecção da COVID-19 através do processamento de uma radiografia digitalizada e uma rede neural. Com isto, deseja-se automatizar o processo de triagem dos possíveis infectados, diminuindo a pressão sobre os sistemas de saúde público e privado. Também procura-se a integração dos laboratórios com os hospitais, agilizando o diagnóstico provável e tornando os exames de imagem mais baratos (tornando radiografias mais confiáveis).
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Empresas e comércio
Público AlvoLaboratórios de imagem, hospitais públicos e privados.
Video do DesafioNenhum.
 
D100 - NOME DO DESAFIO FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS PARA A CATALISAÇÃO DO AVANÇO RUMO A SEGURANÇA ALIMENTAR E A REDUÇÃO DE RESÍDUOS EM ÁREAS URBANAS E PERIURBANAS VULNERÁVEIS EM TEMPOS DE COVID-19
Nome do ProponenteBruno Pansera Espíndola
JustificativaA Novas Tecnologias da Informação e Comunicação (NTIC) vem tomando cada vez mais espaços nos setores produtivos no Brasil. Inicialmente na indústria e posteriormente na agricultura como na agri4.0. No entanto essas ferramentas, NTIC na agricultura, são aplicadas quase que exclusivamente no agronegócio deixando de lado a agricultura urbana e periurbana que é pilar fundamental para se atingir a segurança alimentar das populações em vulnerabilidade social. Esse cenário de cultivo se tornou ainda mais peculiar por conta do isolamento social e carece de ferramentas para auxiliar na gestão de hortas individuais, comunitárias isoladas ou em rede ambientalmente responsável. A condição de vulnerabilidade social já é indicativo da fragilidade do acesso de alimentos saudáveis por parte das famílias, a redução da renda familiar e da oferta de transporte público. O objetivo dessa proposta é criar uma ferramenta computacional integrada com aquisição de dados in loco para gerir de maneira inteligente o processo de fornecimento de insumos, das condições ambientais e de substrato, de cultivo e de distribuição de alimentos de origem vegetal proporcionando o acesso de comunidades vulneráreis a alimentos saudáveis com redução de resíduos líquidos e sólidos, amenizando as dificuldades de acesso a alimentos pela fração da sociedade mais prejudicada pela pandemia. O produto da proposta será um app, podendo ou não ser integrado com uma mini estação meteorológica de baixo custo, para gerir de maneira inteligente a produção urbana e periurbana de alimentos permitindo a interconexão entre hortas individuais, hortas comunitárias criando uma rede de produção e distribuição de alimentos de maneira solidária e sustentável. População vulnerável da periferia é o público alvo principal. O produto atrairá o interesse de ONGs, governos e indústrias do agronegócio que querem divulgar sua marca e/ou vender seus produtos.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Empresas e comércio, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente
Público AlvoComunidades periféricas em vulnerabilidade social.
Video do DesafioNenhum.
 
D106 - NOME DO DESAFIO KORONAKOIN NO ECOSSISTEMA FIDELIDADE (NOVA VERSÃO)
Nome do ProponenteManoel Belem
JustificativaProblemas:
Do total de pontos de milhagem emitidos no Brasil, 15% não são resgatados (segundo a ABEMF).
O uso do Programa de Fidelidade é vinculado apenas ao emissor e seus parceiros.
O emissor do Programa não trabalha com foco na experiência do usuário.

Solução:
Substituir pontos de milhagens e cupons de desconto por KoronaKoins (utilitários) em blockchain, com a finalidade de prover seu uso universal e sem restrição, permitindo engajar todo o ecossistema do segmento e não apenas uma marca.

Considerações:
Durante a pandemia, o KoronaKoin é ferramenta que permite estimular a aquisição de serviços e produtos essenciais, como cestas básicas e merenda escolar, entre outros.
Após a pandemia, o KoronaKoin será ferramenta auxiliar na retomada das atividades presenciais do comércio.
A adoção do KoronaKoin beneficia emissor, operador, varejista, cliente/agente.

A quem vai BeneficiarComunidade, Populações vulneráveis, Empresas e comércio, Arte, cultura e entretenimento
Público AlvoPúblico-alvo: Governo e/ou operadoras de programas de fidelidade, lojistas e clientes/agentes, cada qual utilizando sua própria carteira digital (eWallet), transaciona Koron@Koins no momento do pagamento da compra. O uso dos cupons estimula relações comerciais varejistas, pois promove descontos oportunos nos preços originais, transformando o programa de lealdade numa experiência diferenciada, e trazendo novos clientes para a base original.
Video do DesafioNenhum.
 
D107 - NOME DO DESAFIO MERCADO ZAP OU ZAP DO BEM
Nome do ProponenteLeonardo Oliveira de Casto
JustificativaCom o mercado em quarentena vários comerciantes, empresas e autônomos estão em dificuldades de oferecer seu produtos e serviços. Com o mercado zap, todos podem postar telefones com whatsapp do mercado em que ele conhecer. Então a população pode buscar estes por proximidade e características dos produtos e serviços que estão necessitando. Apos começar a negociação, a ferramenta divulga para entregadores próximos à área que estejam interessados na entrega assim facilitando a concretização do negocio . Os clientes poderão avaliar tudo como se a entrega, embalagem entre outros, estão em conformidades com as regras estabelecidas pela ciência e legislação. Os usuários podem buscar como se adaptar e quais são esses regras que serão divulgadas de forma centralizada e avaliadas sem fake news e técnicas não comprovadas. Assim conto com a solidariedade das pessoas em divulgar e usar a ferramenta como forma de ajudar essa parcela da população, evitando grandes deslocamentos e com a ajuda na divulgação de formas de contenção, tentaremos todos conter um pouco a disseminação do vírus, diminuir o impacto econômico e ainda contribuir com a eficacia da quarentena.
A quem vai BeneficiarComunidade, Empresas e comércio, Informação
Público Alvocomerciantes, empresas e autônomos
Video do DesafioNenhum.
 
D113 - NOME DO DESAFIO FLEXIBILIDADE NO TRABALHO PÓS-COVID: O QUE E COMO IMPLEMENTAR?
Nome do ProponenteMaynara Faúla
JustificativaEsqueça a short friday, home office uma vez por semana ou o day-off de aniversário, a flexibilidade nas empresas agora vai ser de um jeito diferente. O Mundo pós-covid pede adaptações de comportamentos que geram novos hábitos de se vestir, comer, sair e de trabalhar! A flexibilização da jornada de trabalho já foi citada, mas é possível fazer isso considerando o lado trabalhista? Reduzir a carga horária, incentivar o trabalho remoto .. será? E a flexibilização como incentivo ao bem-estar, quando ela será citada? Esse desafio é para quem gosta de pensar no mercado e no futuro, com as implicações de agora: quais deverão ser os novos estilos de flexibilização nas empresas pós-covid?
A quem vai BeneficiarPopulações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio
Público AlvoQualquer pessoa interessada por Business e novos negócios.
Video do DesafioNenhum.
 
D119 - NOME DO DESAFIO O NOVO NORMAL NAS COMUNIDADES
Nome do ProponenteFlávio Luis Silva
JustificativaPreocupação em desenvolver novas formas de convívio em comunidades carentes para quando da volta à normalidade possam realizar ações de interações sejam no âmbito familiar, social ou de trabalho para minimizar que novas doenças transmissíveis por contato possam ter um impacto tão grande.
A Ideia envolve uma plataforma Gamificada onde o publico alvo teria acesso em conteúdo de boas práticas, orientações civis e deveres institucionais como forma de desenvolver senso teórico/crítico e missões práticas onde pudesses desenvolver hábitos colaborativos para o objetivo da proposta. Por Exemplo ações de reciclagem, solidariedade e ensino com vídeos produzidos por órgãos públicos e iniciativa privada. Como um game a conclusão dessas trilhas acumulariam pontos e que poderiam ser utilizados na plataforma para desbloquear novas missões ou trocados de forma física, preferencialmente em itens/serviços na própria comunidade.
Enxergo como maior desafio a produção de conteúdo diverso e abrangente para as comunidades, numa primeira proposta sugestão é estímulo a iniciativa provada com contrapartida social e utilização de carga ociosa de profissionais civis/públicos para gerir grupos de produção nas próprias comunidades.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Empresas e comércio
Público AlvoFamilias de Baixa Renda em locais de risco
Video do DesafioNenhum.
 
D120 - NOME DO DESAFIO LIXO SUSTENTÁVEL
Nome do ProponenteHelio Cibreiros Jr
JustificativaTratamento inteligente para lixo doméstico e industrial com solução tecnológica. Reciclagem, reutilização, geração de energia e insumos.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público AlvoCidades e cidadãos
Video do DesafioNenhum.
 
D122 - NOME DO DESAFIO DISPARADOR DE INFORMAÇÕES
Nome do Proponentepatricia silva
Justificativaum app que envia sms sobre dicas de limpeza pessoal, lembranças sobre a importancia do uso da mascara ao sair de casa, a importancia do isolamento e ultimas noticias em tempo real para os numeros cadastrados na plataforma.
A quem vai BeneficiarComunidade, Populações vulneráveis, Empresas e comércio, Informação
Público AlvoPopulação em geral
Video do DesafioNenhum.
 
D124 - NOME DO DESAFIO STT - SAÚDE TRANSPARENTE PARA TODOS
Nome do ProponenteWeverton Guedes
JustificativaA mídia tem usado dados (alguns até incorretos) sobre o COVID-19, bombardeando o cidadão com notícias a fim de alarmar a população à levar o caos. É de suma responsabilidade do governo trazer com transparência informações de onde está sendo investido cada centavo de imposto e consigo resultados.

Tal proposta é desenvolver um aplicativo para alcançar a margem dos 126,3 milhões de usuários brasileiros (dados de 2017, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de internet e entregar com esse aplicativo não apenas dados de doenças históricas, mas também das últimas décadas e atuais que são divulgados pelo Min. da Saúde.

Usando esse aplicativo eles poderão ver a evolução do sistema de Saúde do Brasil, verão se seus impostos estão sendo bem utilizados em suas cidades, municípios e estados, usarão para denunciar quaisquer problemas em locais públicos de Saúde e/ou locais que tragam perigo à saúde pública, como gases tóxicos, deslizamentos e outros.

Por fim, comparando tais dados, o brasileiro entenderá que não há motivos para caos ou pânico, trazendo para empresas com facilidade as áreas que necessitam de auxílio, que faltam tratamento ou mais remédios e todos saberão que há outras doenças necessitam dessa mesma intensidade de atenção que está sendo dada ao novo Corona Vírus.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Meio ambiente, Informação
Público AlvoBrasileiros, usuários de aplicativos, empresas, médicos, sistema de saúde.
Video do DesafioNenhum.
 
D125 - NOME DO DESAFIO MÁSCARA GAMER
Nome do ProponenteLucas dos Santos Rodrigues
Justificativadesenvolver um protótipo a partir da necessidade das pessoas utilizarem máscaras de forma confortável para se protegerem da pandemia do covid-19, observando a sensação de sufocamento que o uso de máscaras provoca.O objetivo é proporcionar um conforto respiratório para as pessoas que a utilizarem com o intuito de se protegerem do coronavírus.
https://drive.google.com/drive/folders/1Rul7QfYl1yk6stVPLJvEbkW7ewA8V42O?usp=sharing
https://www.youtube.com/watch?v=kZrwgBZWbME
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Grupos de risco, Empresas e comércio
Público AlvoPopulação em Geral
Video do DesafioNenhum.
 
D128 - NOME DO DESAFIO RETOMAR - SISTEMA PARA AUXILIAR A REABERTURA DE ESTABELCIMENTOS COMERCIAIS
Nome do ProponenteAlinne Souza
JustificativaO coronavírus (Covid-19) tem ocasionado um imenso dano à vida e aos aspectos socioeconômicos no mundo inteiro. O impacto na atividade econômica brasileira deverá ser desastroso, fazendo com que diferentes nichos de negócio se fragilizem ou até venham a falir. Segundo o Instituto Fiscal Independente, no pior dos cenários, com 22 semanas de paralisação das atividades, a queda do PIB do país pode atingir até 7% neste ano. Apenas no início da pandemia houve um crescimento abrupto de demissões; redução de jornadas de trabalho e salários; e pequenos e médios negócios tendem a sofrer com os efeitos na economia causado pelo coronavírus.
Neste sentido, um fator que poderia auxiliar a economia por parte dos governos é a proposição de medidas no fim do isolamento social ou quando uma flexibilização da quarentena for iniciada. No entanto, medidas e protocolos mal formulados podem ocasionar o aumento do contágio da doença e até mesmo elevar o número de óbitos.
De um modo geral, mesmo em cidades pequenas, os centros comerciais são altamente concentrados de estabelecimentos e fluxo de pessoas. Neste contexto, uma das soluções provisórias para esses problemas é o escalonamento de horários de funcionamento dos estabelecimentos, como já tem sido feito em algumas cidades do Brasil.
Esta solução faz a distinção de horários apenas pelo segmento do negócio, sem considerar outros fatores, como horários de pico, ruas com muito fluxo, proximidade dos estabelecimentos, serviços essenciais, dentre outros. O mapeamento e a criação de um modelo de escalonamento de horários consideram os fatores de forma manual, tratando-se de uma atividade impraticável. Neste contexto, um sistema que auxilie na tomada de decisão é fundamental, uma vez que possibilita a redução dos riscos de contágio do coronavírus, na retomada cuidadosa da economia e acima de tudo poderá ajudar os negócios de pequeno e médio porte.
Assumindo essas observações, o objetivo deste projeto é utilizar técnicas e algoritmos inteligentes visando buscar um modelo de escalonamento de horários para estabelecimentos comerciais considerando fatores importantes em relação ao distanciamento das pessoas e agregar valor nas tomadas de decisão dos órgãos responsáveis. Além disso, propor estratégias para realocar os comerciantes de pequenos negócios em espaços não ocupados.
O funcionamento do sistema inicia com uma entrada que representa informações sobre os estabelecimentos comerciais, podendo ser um mapa ou um arquivo .csv. A partir dessas entradas, o sistema realiza um pré-processamento e coleta informações como localização, tipo do serviço, vizinhança, dentre outros. Com as informações extraídas é possível aplicar técnicas e algoritmos para gerar soluções de tal modo que maximize o número de negócios abertos e minimize as chances de aglomerações. Por fim, um esquema para visualização dos horários e os dias do escalonamento serão exibidos aos comerciantes e comunidade.

A quem vai BeneficiarComunidade, Empresas e comércio
Público AlvoÓrgãos responsáveis (prefeitura, governo)
Video do DesafioNenhum.
 
D130 - NOME DO DESAFIO CRIAR O APLICATIVO RESTORANTE
Nome do ProponenteJULIA RAMALHO
JustificativaA Associação Brasileira de Bares e Restaurantes - Abrasel, estima que dos 6 milhões de empregados ligados ao setor no Brasil, metade deles podem ser demitidos nos próximos 30 ou 40 dias, caso os estabelecimentos permaneçam fechados: "Os bares e restaurantes estão entre os maiores empregadores do Brasil e os mais afetados por tudo isso" declara Paulo Solmucci, presidente da Abrasel.
Muitos Serviços de Alimentação tiveram suas atividades reduzidas ou suspensas, cumprindo as determinações do Ministério da Saúde em relação ao isolamento social e redução da aglomeração de pessoas visando reduzir a transmissão do COVID-19 pela população.
Contudo, esses estabelecimentos estão demitindo funcionários e correm o risco de fechar, pois não conseguirão cumprir seus compromissos financeiros, gerando um impacto negativo na economia do país.
Além disso, a recuperação desse setor pode ser prejudicada ainda mais pelo comportamento dos consumidores, que podem temer frequentar os restaurantes por um tempo, evitando aglomeração.
Uma tendência que cresceu muito durante a pandemia e pode se manter após o fim do isolamento é a utilização de aplicativos para pedir refeições pelo celular. Além da comodidade e segurança, hoje é também uma questão de saúde.
Aliando essa solução à necessidade de apoio que o setor de alimentação necessita, a presente proposta estimula um nova alternativa comercial aos restaurantes, através de um aplicativo que faça a conexão do restaurante com fornecedores locais e com consumidores que buscam refeições a baixo custo.
Diariamente, os restaurantes produzem alimentos e existe um excedente que ainda poderia ser consumido naquele dia, mas acaba sendo descartado por falta de consumidores.
Sendo assim, o aplicativo disponibilizará essa sobra para compor refeições com um custo mais baixo, incentivando a venda, uma renda extra aos restaurantes e diminuição do desperdício.
Um aplicativo na Europa, o Too Good To Go, oferece uma solução semelhante como um "mapa das sobras" para consumidores interessados.
Mas, o app RESTOrante pretende conectar, também, fornecedores locais, com custo de insumos mais acessíveis, estimulando a economia local.
Além disso, tendo em vista uma demanda crescente em tempos de isolamento social e dificuldades econômicas, será disponibilizada a possibilidade de doação de refeições para pessoas que moram próximas aos restaurantes, pelos usuários do aplicativo. Ou seja, o consumidor pode comprar uma refeição para consumo próprio ou com opção de doação.
Ainda estimulando a colaboração, o aplicativo irá conectar outros profissionais que queiram contribuir voluntariamente para o desenvolvimento do restaurante, tanto em relação à gestão quanto na operação, como entregadores, cozinheiros, nutricionistas, chefes.
Pretende-se assim, estimular as economias locais, através de um setor em potencial, permitindo que as comunidades tenham autonomia para superar as dificuldades impostas pela pandemia em relação ao setor de alimentos.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Empresas e comércio
Público AlvoMicro e pequeno empresário do setor de refeições
Video do DesafioNenhum.
 
D138 - NOME DO DESAFIO MONITORAMENTO PARA EVITAR AGLOMERAÇÕES
Nome do ProponenteVANDERLEI DE SOUZA ARAUJO
JustificativaA grande preocupação está nas aglomerações de pessoas. Vivemos num mecanismo capitalista, onde "as engrenagem" do sistema não podem parar causando grandes impactos a economia. Em contrapartida estamos em meio a uma grande epidemia que exige que a população caminha na "contramão" de que o sistema necessita atualmente. Os órgãos competentes da saúde solicitam, todos em consenso, para que a população evite aglomerações. Caso não seja respeitado, a saúde entra em colapso. Caso respeitem, a economia entra em colapso. Portanto, a ideia primária é criar tecnologias que atendam os dois lados ou aprimorar as já existentes. uma grande dificuldade está nos grandes centro, onde os meios de transportes públicos andam abarrotados de passageiros. as atividades nas indústrias e comércio poderiam neste momento, em parceria com o poder público, criar horários escalonados/rodízios para diminua o número de pessoas ao mesmo tempo nas ruas. Criação de aplicativos, com a tecnologia GPS ou similar, para que seja autorizada a saída pessoas seja obrigatório seu uso. Sua função é quantificar o número de pessoas nas ruas, trajetos que evitem aglomerações, caso a pessoa seja contaminada tem se a rota de deslocamento, possíveis focos e outras pessoas que "colidiram" com essa rota sendo possíveis casos novos da doença. Nas tecnologias já existentes, poder aprimorar o "delivery", onde seja ampliado para todos os setores, mesmo aqueles inimagináveis neste conceito de negócio.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio
Público AlvoSistema de saúde e o sistema econômico.
Video do DesafioNenhum.
 
D141 - NOME DO DESAFIO NOSSOS NEGÓCIOS
Nome do ProponenteMichelle Silva Santos (Pnud Brasil)
JustificativaUm aplicativo que sirva de espaço para a divulgação de pequenos e médios negócios com recurso de geolocalização. Nele faremos um mapeamento dos serviços disponíveis na sua região (supermercado, açougue, padaria, costureira, artesã, a moça que vende salgadinho e bolo caseiro). É só você abrir pra descobrir todos os serviços que já existem pertinho de você ou, ainda, no caminho que você faz para o trabalho. Essas atividades geralmente são pouco divulgadas e é possível que você viva por anos em uma região sem saber que determinado serviço/produto é oferecido pertinho de você. No contexto atual, estimular os pequenos negócios e o comércio regionalizado (reduzindo a necessidade de grandes deslocamentos) pode reduzir o impacto econômico da pandemia.
A quem vai BeneficiarComunidade, Empresas e comércio, Informação
Público AlvoPequenos e médios comerciantes e a comunidade que pode usufruir dos produtos/serviços oferecidos por eles.
Video do Desafio
 
D143 - NOME DO DESAFIO PLATAFORMA SABORES & SABERES: UM MARKETPLACE DE NEGÓCIOS PARA AGRICULTURA FAMILIAR
Nome do ProponenteRaquel Breitenbach
JustificativaNo cenário de pandemia causada pelo Coronavírus o Brasil adotou a medida de isolamento social, o qual vem acompanhado de limitações nas operações de comércio e distribuição de alimentos, impossibilitando o funcionamento de diversos estabelecimentos como feiras livres, restaurantes, bares, shoppings, hotéis, vendas de beira de estrada etc. Este contexto tem agravado ou causado problemas para dois importantes elos fragilizados das cadeias produtivas de alimentos: agricultores familiares e consumidores de baixa renda.
Para os agricultores familiares que comercializam seus alimentos nas feiras livres, em programas institucionais, restaurantes, bares, shoppings, hotéis, etc. foram reduzidas as possibilidades de escoamento da produção, consideradas as dificuldades deste setor se inserir em cadeias agroalimentares tradicionais. Neste caso, a renda destas famílias também está sendo comprometida e alimentos se acumulam ou estragam nas unidades de produção agropecuárias.
Para o consumidor, reduziram-se as possibilidades e locais de aquisição de alimentos, os preços dos alimentos se elevaram e os vínculos construídos entre consumidores e agricultores familiares sofreram distanciamentos. Neste caso, consumidores que optavam pelas cadeias curtas de comercialização de alimentos, especialmente as feiras livres, passaram a ter dificuldades de encontrar produtos de qualidade e procedência perfeitamente identificados com os preços competitivos comparativamente com as feiras. Ou seja, ocorreu interrupção de cadeias produtivas de alimentos, gerando gargalos para o escoamento da produção e manutenção da remuneração, além da possibilidade de desabastecimento de bens que são de primeira necessidade.
Somado a isso, a insegurança alimentar e a pobreza são mais expressivas no campo do que na cidade. Os dados apontam que 20,8% das pessoas que vivem no campo tem rendimento domiciliar per capita mensal que indicam extrema pobreza, ou seja, menos de R$ 70,00 mensais. Já no meio urbano, esse percentual é de 3,7% (IBGE, 2010). Acerca da insegurança alimentar, também é maior no campo, sendo que 35,3% da população rural e 20,5% da população urbana vivem em cenário de segurança alimentar (IBGE, 2014).
A diminuição das atividades no meio rural, especialmente da comercialização de alimentos, que é realizada pela agricultura familiar, podem agravar esses indicadores. Se teme uma crise no abastecimento e escoamento de alimentos, enquanto impactos sócio culturais e econômicos decorrentes da pandemia.
O presente projeto objetiva fornecer à sociedade uma solução tecnológica de baixo custo para comercialização e aquisição de alimentos da agricultura familiar. Como objetivos específicos destaca-se: a) Desenvolver uma plataforma digital em formato de marketplace que facilite a comercialização e aquisição de alimentos da agricultura familiar; b) Aproximar consumidor do produtor de alimentos; c) Fornecer informações de procedência, técnicas e sistemas de produção dos alimentos.
A quem vai BeneficiarComunidade, Populações vulneráveis, Empresas e comércio, Informação
Público AlvoO presente projeto busca atender dois públicos: 1) Agricultores familiares que produzem alimentos - O modelo econômico baseado na agricultura familiar é responsável pela sobrevivência de milhares de famílias em todas as regiões do país. A Organização das Nações Unidas (ONU, 2018) alerta para a importância comercial da agricultura familiar, a qual contribui com 80% de toda a produção mundial de alimentos. No mundo todo aproximadamente 570 milhões de produtores rurais estão nesse sistema, o que corresponde a 90% de todas as propriedades agrícolas mundiais (ONU, 2018). No Brasil, a agricultura familiar representa 77% (3.897.408) dos estabelecimentos agropecuários. Este setor é responsável por 23% do valor da produção e ocupa 23% da área total (80,89 milhões de hectares). O setor também tem importante contribuição social e econômica ao empregar 10,1 milhões de pessoas, correspondendo a 67% do total de trabalhadores nos estabelecimentos agropecuários (IBGE, 2017). A agricultura familiar brasileira produz 70% do feijão, 34% do arroz, 87% da mandioca, 46% do milho, 38% do café, 21% do trigo, 50% das aves, 30% dos bovinos, 60% da produção de leite e 59% do rebanho de suínos (IBGE, 2017). Ainda, para 90% dos municípios brasileiros com até 20 mil habitantes, a agricultura familiar é a base econômica, sendo responsável pela receita de 40% dos brasileiros economicamente ativos no Brasil (IBGE, 2017). Em nível mundial os agricultores familiares são fundamentais para a produção de alimentos e garantia de abastecimento alimentar (FAO, 2018). No Brasil, a agricultura familiar é também o setor predominante e essencial no que se refere a produção de alimentos. Apesar de sua importância, a agricultura familiar está entre os grupos mais vulneráveis à pobreza e à fome no meio rural (FAO, 2018) e sofre pressões de distintas fontes, as quais abalam sua reprodução. Uma das pressões vem dos mercados oligopolizados, coordenados por impérios alimentares, com poder de mercado nacional e internacional, que priorizam a grande escala produtiva (PLOEG, 2008). Estes se mantêm com maior competitividade no mercado, ao mesmo tempo que pressionam os agricultores familiares a se adequarem às suas exigências de escala e tecnologia para fazer parte de longas cadeias produtivas. Considerado esse cenário hegemônico na comercialização de alimentos do Brasil, os agricultores familiares buscam canais alternativos de comercialização, priorizando as cadeias curtas de comercialização, utilizando as feiras livres como principal estratégias de inserção no mercado. Portanto, as vendas diretas ao consumidor, à exemplo das feiras livres, são fundamentais para a reprodução destas famílias de agricultores geralmente em vulnerabilidade social. 2) Consumidores de alimentos, especialmente baixa renda - As vendas diretas da agricultura familiar vem crescendo. Isso se explica parcialmente pela valorização do rural pelo urbano e por permitirem preços mais acessíveis ao consumidor ao eliminar intermediários, o que também garante mais renda ao produtor (POZZEBON et al., 2017). Neste caso, os consumidores com menor disponibilidade orçamentária, ao terem acesso aos canais curtos de abastecimento, alicerçados na agricultura familiar, terão disponíveis produtos com preços menores, contribuindo para diminuição de despesas familiares. Ainda, os consumidores são beneficiados com valores “intrínsecos” conexos à agricultura familiar, quais sejam: alimentos orgânicos, artesanais, territoriais, com indicação geográfica e sustentáveis (POZZEBON et al., 2017; FERRARI, 2011). Com as medidas de combate ao Covid-19 no Brasil, muitas estratégias de venda direta, à exemplo das feiras livres, suspenderam ou diminuíram suas atividades, gerando um problema de escoamento da produção e de abastecimento. Nisto que buscaremos auxiliar, ao criar alternativa de comércio direto. Portanto, mesmo que os canais de comercialização como as feiras livres estejam inoperantes, o projeto quer contribuir na manutenção ou ampliação das compras diretas, trazendo vantagens para os dois públicos alvos: consumidores e agricultores.
Video do DesafioNenhum.
 
D152 - NOME DO DESAFIO COMPUTAÇÃO SOCIALMENTE SUSTENTÁVEL
Nome do ProponenteAllan Felipe Brochier dos Santos da Silva
JustificativaPiora da distribuição de renda e compras no varejo na sociedade pós covid19.

Injustiça social e enriquecimento apenas dos gigantes da nuvem - varejo centralizado em 1% das lojas.

Na atual e futura arquitetura de computação na nuvem o preço é o único fator que importa.
Com o advento de containers, microservicos e frameworks bem definidos todos os serviços terão alta qualidade, segurança, performance e disponibilidade , isso é inevitável.

A diferença será apenas o preço. quanto mais barato o megabyte mais esse serviço será utilizado, semelhante ao mercado do algodão, cana de açucar, carvão e petroleo.

O desafio seria criar um novo índice no preço, um atributo nos serviços distribuídos. Atualmente temos disponibilidade e velocidade, teríamos um novo índice, o de responsabilidade social do megabyte.

Isso implica em um novo tipo de característica no parâmetro do serviço. O que seria utilizado para medir esse índice:
- Fonte da energia elétrica para manter a infraestrutura cloud
- Responsibilidade social e ambiental da empresa que desenvolveu o serviço cloud,
- Investimentos em pesquisa e desenvolvimento da empresa

Parte do faturamento das empresas cloud com notas inferiores seria repassado para empresas com notas melhores nesse índice.

Possível implementação da solução: colocar nos tokens de autenticação cloud a "nota verde". Quando o certificado digital é emitido para empresa ele vai junto a "nota verde", isso é propagado por toda cadeia JWT do serviço cloud e assim podemos ver quais chamadas distribuídas são mais verdes que outras.

Por exemplo: uma startup em uma vila carente teria uma nota de responsabilidade social muito maior que uma gigante que fica no prejuizo apenas para monopolizar o mercado.
Imaginem essa possível "nota verde" como um serviço de distribuição de megabytes na nuvem para evitar que toda internet fique monopolizada em apenas um provedor.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Empresas e comércio, Meio ambiente, Informação
Público Alvosociólogos, desenvolvedores de software livre, pesquisadores, comunidades carentes, pequenos empresários, ambientalistas, desenvolvimento sustentável.
Video do DesafioNenhum.
 
D155 - NOME DO DESAFIO COMÉRCIO ONLINE
Nome do ProponenteCaroline Lopes
JustificativaAjudar pequenos empreendedores a aumentar sua presença online tanto para se conectar com seu público, quanto para venda. Criação de app educativo, educar o(a) empreerdedor(a) de acordo com seu segmento de atuação, para que ele possa ter sucesso online. Ensinar técnicas de venda online. Além do conteúdo, possivelmente conectar profissionais do marketing/vendas digital ou agências por um preço mais em conta.
A quem vai BeneficiarEmpresas e comércio
Público Alvoórgãos públicos, startups
Video do DesafioNenhum.
 
D160 - NOME DO DESAFIO POPULAÇÕES VULNERÁVEIS
Nome do ProponenteJuliano Silva
JustificativaA escolha pelo desafio é poder proporcionar suporte àqueles que estão desempregados ou
podem perder o emprego, através de uma plataforma e uma equipe que irá auxiliar as pessoas de forma simples e rápida.
Mais de 12 milhões de pessoas estão desempregadas no Brasil, e esse número só cresce, principalmente populações vulneráveis, que não conseguem nem se quer chegar nas entrevistas de empregos.
O intuito com esse desafio, é poder ajudar aqueles que precisam, dando apoio e suporte nesse momento conturbado.
A quem vai BeneficiarComunidade, Populações vulneráveis, Empresas e comércio
Público AlvoDesempregados que estejam procurando empregos, populações vulneráveis e pessoas com dificuldades em encontrar emprego.
Video do DesafioNenhum.
 
D161 - NOME DO DESAFIO GASTRONOMIA NA TERCEIRA IDADE
Nome do ProponenteHelvio MatznerR
JustificativaPlataforma virtual com aulas de culinária administradas por professores de culinária na Universidade UNA onde a terceira idade irá participar ONLINE onde a interatividade com suas receitas serão registradas em um livro. A organização e a apresentação das aulas estarão por conta de Helvio Matzner. A mentora do projeto Instituto Ãnima estará auxiliando a produção.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Meio ambiente, Informação
Público AlvoTerceira idade
Video do Desafio
 
D163 - NOME DO DESAFIO CRÉDITO POPULAR
Nome do ProponenteEnrique Fynn
JustificativaPequenas empresas e empreendedores individuais correm severo risco durante a pandemia e desestabilização da economia. Linhas de crédito podem assustar empreendedores que não sabem se terão capacidade financeira de honrar os pagamentos.

A plataforma visa aproximar os mercados de futuro de pessoas que não têm acesso a ele. Cada futuro é representado por um cupom de desconto para o futuro. Por exemplo, um restaurante poderá emitir cupons de 10% de desconto em uma refeição para ser executada no futuro.

O sistema atuaria como um empréstimo em que o pagador pode se sentir mais confortável ao utilizar esse "empréstimo" e ao mesmo tempo pode calcular a margem do mesmo e adequá-lo ao livre mercado. Além disso, com o capital adquirido pela venda desses futuros, o comerciante pode comprar insumos para seu comércio na forma de outros cupons, movimentando a economia para o futuro.

O mecanismo é útil também para em tempos de normalidade econômica. Empresários podem utilizar a plataforma para se resguardarem de futuras incertezas.
A quem vai BeneficiarComunidade, Populações vulneráveis, Empresas e comércio
Público AlvoMicro, pequenas e médias empresas
Video do DesafioNenhum.
 
D171 - NOME DO DESAFIO NO CONTEXTO DO ISOLAMENTO SOCIAL PROLONGADO, OS MEIS, EM SUA MAIORIA DEPENDENTES DA CIRCULAÇÃO DE PESSOAS, SOFREM COM A QUEDA ACENTUADA DE SUA ÚNICA FONTE DE RENDA.
Nome do ProponenteEdgard Lombardi
JustificativaJustificativa 01: Com a baixa circulação de pessoas nas ruas em decorrência da imposição do isolamento social, a população busca novos canais de relacionamento e de compras, notadamente no meio digital. Segundo pesquisa da Panorama Mobile Time/Opinion Box, em 2020, 99% dos brasileiros com smartphone utilizavam Whatsapp e 93% o acessavam todo dia. O total no Instagram é de 76%. Por outro lado, conforme dados da pesquisa do “Perfil do MEI - 2019”, do Sebrae, 76% atuavam em espaço físico, e menos de 10% pela internet, segundo o jornal O Povo, no mesmo ano. Essa realidade torna o MEI mais vulnerável na conjuntura em que estamos, repercutindo em seu faturamento nos próximos meses e até no longo prazo, levando ao fechamento de suas atividades.

Justificativa 02: Dimensão do Mercado Local: O MEI, no geral, é dependente da economia local. Isto, pois, a natureza dos serviços prestados demanda necessariamente a presença do empreendedor (cabeleireiros, minimercados e serviços de alimentação, por exemplo). Em outra frente, para aqueles que comercializam produtos, comprometer-se com a entrega de mercadorias para clientes distantes torna o negócio menos competitivo em razão dos custos com o transporte. Diante do isolamento social nos bairros e a consequente redução da renda, os MEIs apostam em meios de divulgação gratuitos, porém pouco efetivos e assertivos. O tradicional “marketing de boa-a-boca”, comumente usado, é impactado com a redução de circulação de pessoas e encontros sociais. Já a criação de perfis comerciais em aplicativos como Instagram e Facebook, por exemplo, possuem longo alcance e são digitalmente excludentes, dando pouca assertividade local e restringindo àqueles que tenham conhecimento razoável de tecnologia e espaço disponível no celular. Ou seja, a pandemia demanda uma solução de relacionamento e conexão entre MEI e cliente local gratuita, assertiva e efetiva.

Justificativa 03: A crise econômica anunciada pelo governo e mercado em razão da epidemia do coronavírus torna-se cada vez mais realidade. Segundo o Boletim da Cielo, o varejo retraiu 28,4% no Brasil desde o início da pandemia. Embora o Governo do Ceará tenha divulgado, no dia 22/04, a criação de um grupo de trabalho intersetorial de retomada da economia, prevendo um plano de reabertura nos próximos dias, o impacto da pandemia será enorme. A previsão de retração do PIB brasileiro em 2020 ficou entre -2 a -4%, e os microempreendedores individuais estão entre os mais vulneráveis. Um problema de grandes proporções demanda solução conjunta e articulada. Para os MEIs, o governo federal anunciou o auxílio emergencial de R$ 600,00, restritos aos mais pobres e apenas por três meses, e que ajuda em necessidades pessoais de primeira ordem; já os bancos privados e outras instituições financeiras liberaram créditos a juros subsidiados, o que, mesmo assim, demandará condições financeiras do MEI em arcar com os juros futuros.
A quem vai BeneficiarComunidade, Empresas e comércio
Público AlvoO microempreendedor individual (MEI) em Fortaleza, Ceará. O perfil majoritário do microempreendedor individual cearense, segundos dados de 2018 do Sebrae e Portal do Empreendedor: ? Perfil Pessoal: Homem, pardo, entre 31 a 50 anos, com ensino médio completo ou incompleto e que vive em Fortaleza. Os mais jovens buscam no MEI autonomia financeira, e os maduros, precisavam de uma fonte de renda. Antes de se tornarem microempreendedores, a metade era empregado com carteira assinada e um em cada quatro atuava na informalidade. ? Perfil Socioeconômico: O grupo familiar do MEI compreende 3,6 pessoas em média, com renda familiar de R$ 3.000,00. Para 75% dos microempreendedores, a atividade gera sua única fonte de renda, e para 38% ela também é a única receita de todo o grupo familiar. As principais motivações para se formalizar enquanto MEI são o direito aos benefícios previdenciários e as consequências da formalização, que lhe garante melhores condições de negociação com fornecedores, a emissão de Nota Fiscal, e o valor simbólico junto aos clientes. Para 77%, a formalização contribuiu significativamente para o aumento das vendas. ? Perfil Profissional: Cerca de 76% atuam em estabelecimento fixo (em casa ou em loja) e apenas 10% trabalha via internet. Do total de MEIs, 93% nunca tiveram negócios com governos e 68% jamais venderam para outras empresas. As principais ocupações registradas são, em ordem: varejistas de vestuário e acessório; minimercados e mercearias; cabeleireiros, manicures e pedicures; e lanchonetes e lojas de sucos. Dos que fecharam, 25% alegaram falta de dinheiro. Considerando o universo dos ativos, 47% já deixaram de pagar o boleto mensal do MEI.
Video do DesafioNenhum.
 
D179 - NOME DO DESAFIO UM MODELO MATEMÁTICO PARA A COVID-19 UTILIZANDO OS MODELOS SIR E SIRS COM EQUAÇÕES DIFERENCIAIS DE ORDEM INTEIRA E FRACIONÁRIA
Nome do ProponenteLorena Reis de Lima e Victor Porto Gontijo de Lima
JustificativaA modelagem nos dará uma visão o mais completa possível sobre os impactos sanitários, sociais e econômicos da pandemia do covid-19 no Brasil. Faremos o uso de dois modelos compartimentais, o SIR e o SIRS. O SIR possibilitará um estudo para o caso em que os indivíduos infectados não tenham reincidência na infecção, adquirindo imunidade. Já o modelo SIRS será usado para o caso em que os indivíduos não adquirem imunidade e, passado certo tempo, tornam-se suscetíveis a uma nova infecção.
No caso do SIR, as equações diferenciais contarão com a presença das seguintes taxas: infecção, recuperação, quarentena, nascimento, mortalidade I (para o caso em que os indivíduos morrem devido ao SARS-CoV-2), mortalidade II (para o caso em que os indivíduos morrem devido a outras causas), imigração (aqui contabilizamos indivíduos vindos tanto de outras localidades dentro do país como de fora do país), indivíduos em tratamento, infectados em tratamento e transmissão da doença.
No caso SIRS será adicionada a taxa em que indivíduos recuperados retornam para a classe de suscetíveis e a taxa em que indivíduos quarentenados retornam para alguma outra classe de indivíduos não isolados.
Em paralelo, faremos um levantamento socio-econômico, com dados do IBGE (de acordo com os dados do último censo) para analisar como as desigualdades sociais, econômicas e regionais no Brasil influenciam na evolução da propagação da doença no Brasil.
Assim, esperamos conseguir fornecer um modelo condizente com a realidade social do país, fornecendo resultados e previsões que ajudem a prever, a curto-médio prazo, quais as medidas necessárias para cada região do país; por exemplo, qual região deve entrar em zona de quarentena/lockdown, qual região precisa receber com urgência equipamentos hospitalares, qual região precisa de mais a atenção quanto a recursos de auxílio emergencial, entre outros. Isso com certeza nos auxiliaria a evitar novos epicentros da doença, número desenfreado de infecções em regiões ainda não tão atingidas pela covid-19 e mortes em regiões já afetadas.
O modelo está sendo construído com base em trabalhos na área da matemática. Esses trabalhos introduzem noções de epidemiologia, modelos compartimentais e propõe algumas modelagens SIR e SIRS de acordo com dois métodos: o método de Lyapunov e o método de equações diferenciais de ordem fracionária. No nosso modelo, fazemos uma compilação dos dois estudos, a fim de verificar qual melhor se adequa à dinâmica do novo corona vírus. Todo trabalho computacional e de produção de gráficos será feito / está sendo feito em Python. Os dados socio-econômicos são provenientes de plataformas governamentais confiáveis, como o IBGE. Os dados relacionados ao SARS-CoV-2 são retirados tanto de bancos de dados governamentais como de centros de pesquisa, laboratórios e outras instituições confiáveis envolvidas na coleta e análise desses dados.
A quem vai BeneficiarComunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Informação
Público AlvoO público beneficiado serão principalmente as pessoas em condições sociais e econômicas desfavorecidas e pessoas do grupo de risco (indiretamente os demais brasileiros).
Video do Desafio
 
D183 - NOME DO DESAFIO APLICATIVO PARA TRANSPORTE DE CARGAS
Nome do ProponenteCarmem Lúcia
JustificativaA proposta é desenvolver um aplicativo para cada carga transportada ter um gerar um código ambiental para transformar em bônus para empresa contribuir para a ressocializacao plantação de árvores ,coleta seletiva,educação e consciência ambiental nas comunidades sendo a maior beneficiada para o estudo específico toda ação voltada para as áreas de risco isso levaria a uma comciencia ambiental
A quem vai BeneficiarComunidade, Empresas e comércio
Público AlvoComunidade
Video do DesafioNenhum.
 
D186 - NOME DO DESAFIO APLICATIVO PARA PESQUISA DE PREÇO ONLINE.
Nome do ProponenteLuciano Milhomem (Pnud Brasil)
JustificativaO consumidor, sem lojas abertas suficientes para fazer pesquisa de preço, acaba comprando nas que estão mais próximas ou que disponibilizam catálogos em seus sites. Para fazer uma pesquisa de preço, leva-se tempo. Seria interessante haver um aplicativo em que o consumidor inserisse o tipo de produto que está buscando, e o aplicativo fizesse por ele a pesquisa de preço e já indicasse as lojas onde o consumidor poderia encontrar aquele produto com custo mais baixo. Conheço aplicativo semelhante para locação de automóveis, mas ele não indica para mim o preço mais em conta.
A quem vai BeneficiarComunidade, Empresas e comércio
Público AlvoConsumidores, e geral
Video do DesafioNenhum.
 
D192 - NOME DO DESAFIO MAPAS MENTAIS EM REUNIÕES VIRTUAIS
Nome do ProponenteRenata Muylaert
JustificativaCom a quarentena, comunicar-se virtualmente se tornou ainda mais imprescindível. Muitas pessoas tem usado Zoom, Hangouts, ou Skype para se comunicar em seus ambientes de trabalho ou escola. Entretanto, falta alguma coisa na comunicação e em muitos casos somente a fala não é suficiente para que a reunião seja eficiente. Sentimos falta de uma lousa ou quadro branco, no qual podemos ilustrar nossas ideias, equações ou fluxogramas. Existem ferramentas pagas e ferramentas gratuitas (e feias) na web disponíveis para fazer esses mapas mentais. Entretanto, nenhuma se integra bem em reuniões virtuais. Portanto, o desafio seria criar uma ferramenta para construção rápida e atraente de mapas mentais (incluindo anotações simples também) que possa facilmente ser integrada e compartilhada em reuniões virtuais por Zoom, Skype, ou outros softwares. Isso ajudaria muito a adaptar a comunicação a distância, principalmente quando é necessário gerar soluções para problemas complexos como os gerados pela COVID-19.
A quem vai BeneficiarComunidade, Empresas e comércio, Educação, Informação
Público AlvoGrupos de trabalho, laboratórios de pesquisa, times do governo, educadores e alunos.
Video do DesafioNenhum.
 
D196 - NOME DO DESAFIO CANAL DO IMIGRANTE
Nome do ProponenteAugusto Cesar da Silva Moreira
JustificativaA solução: um canal de informação que ajuda imigrantes refugiados por meio de mídias impressas ou digitais acessíveis para que eles tenham informações seguras no Brasil.
O problema:
O desde o ano de 2010, o Brasil passou a receber uma grande onda de entrada de imigrantes em situação de refúgio provindos de diferentes países. Segundo o Relatório Anual do Observatório das Migrações Internacionais – OBMigra 2019 publicado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. Haitianos, venezuelanos e colombianos são as três principais nacionalidades que formam o grupo de imigrantes no Brasil de 2018.
Infelizmente muitos desses imigrantes têm sido alvos fáceis para pessoas más intencionadas e também são frequentemente vítimas de fakenews. Estudo recentes mostram que a falta de informação, dificuldades com o idioma e acesso à documentação são os principais obstáculos para os estrangeiros no país.
Nos dias atuais onde a informação é essencial, como podem os imigrantes terem informações corretas sobre como agir diante da pandemia. Não informá-los pode acarretar em danos não somente à comunidade em que o mesmo está inserido como também a de brasileiros. Além disso muitos direitos do governo no qual podem desfrutar porém para muitos é desconhecido.
Da infra estrutura:
O Canal do Imigrante é uma plataforma online que usa canais como redes sociais e espaços públicos para divulgação de notícias. Não precisando de um escritório físico porém, a equipe deve estar muito bem alinhada por meio de ferramentas digitais para o trabalho remoto.
Da equipe:
O ideal é uma equipe editorial e técnica formada por um programador, um analista de marketing e um profissional de relações públicas ou afins. São responsáveis pelo portal, gestão dos recursos arrecadados ou da receita para entregar o conteúdo. Devem oferecer treinamento para alguns imigrantes que atuarão como agentes para participarem como redatores, repórteres e etc. Estes podem ser remunerados ou a princípio fazerem o serviço como voluntário.
Da mídia impressa:
Cartazes, banners ou pequenos manuais podem ser impressos e entregues em escolas, hospitais e outros espaços públicos contribuindo com informação aos refugiados e também os funcionários que ali trabalham.
Da mídia digital:
Existem grandes incentivos para propaganda gratuita para o terceiro setor como o Google Grants. Algumas empresas privadas e municípios também permitem que haja um espaço em seus canais para o mesmo. Vídeos curtos podem ser feitos para os mesmo assim como slides, imagens para postar em stories ou no feed de notícias.
Fonte de renda:
O Canal do Imigrante poderá desfrutar de monetização por visualizações em seu canal no YouTube, também pode atuar como influenciador para a comunidade, divulgador e intermediador de produtos e serviços provindo do trabalho de refugiados, pode ter aporte financeiro por meio público ou privado e também de doações de pessoas físicas.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Arte, cultura e entretenimento, Informação
Público AlvoImigrantes refugiados no Brasil
Video do Desafio
 
D198 - NOME DO DESAFIO ACELERAÇÃO DIGITAL
Nome do ProponenteMichael Souza Soares
JustificativaCom o covid-19 veio consequente necessidade do isolamento social forçaram pessoas de todos os cantos do mundo a reinventarem suas rotinas. Trabalhar junto de colegas, fazer confraternizações com amigos, celebrar aniversários, conversar com familiares. Atividades rotineiras passaram a ser realizadas pela internet com o objetivo único de se voltar à normalidade. O que aconteceu na prática foi que as pessoas foram mais velozes que os negócios. Elas criaram hábitos digitais antes que a maior parte das empresas estivessem preparadas para isso.
Nesse contexto, quem mais vem sofrendo sem dúvidas é as micro e pequenas empresas, que precisam se adaptar ao momento e, rapidamente, responder ao desafio de manter o negócio, diante das medidas de distanciamento social e fechamento dos estabelecimentos comerciais que impedem o atendimento presencial.
Isto é uma verdade principalmente para o varejo, já que o isolamento dificulta a experiência de compra física.
Um estudo recente da McKinsey apontou que uma das tendências que estamos vendo no mundo é a emergência dos modelos de negócio contact free, ou seja, nos quais a interação com o cliente é mais virtual e menos física. O que se está vendo nos países em que o surto de covid-19 acabou ou foi controlado é que as pessoas, por exemplo, não estão voltando ao cinema.
A Kantar, em sua pesquisa Barômetro covid-19, confirma esta tendência no Brasil. O estudo apontou que 34% dos consumidores brasileiros estão aumentando suas compras online, e 46% estão reduzindo as compras físicas. E mais, 17% dos brasileiros fizeram sua primeira compra de alimentos pela internet na vida por causa da pandemia.
Porém muitos desses empreendedores desconhecem como realizar essa transformação digital de seus negócios, muito sequer tem afinidade com o mundo digital. Nesse sentido a proposta e de como ajudar esses empreendedores a atualizarem seus negócios para essa nova realidade.
A quem vai BeneficiarComunidade, Populações vulneráveis, Empresas e comércio, Educação
Público AlvoMicro e pequenos empreendedores, varejistas
Video do DesafioNenhum.
 
D207 - NOME DO DESAFIO PADM - PROTOCOLO DE ANTISSEPSIA E DESINFECÇÃO MASSIVA
Nome do ProponenteMarcelo Soares Crespo
JustificativaO PADM – Protocolo de Antissepsia e Desinfecção Massiva surgiu da percepção da existência de outros antissépticos e desinfetantes, relegados ao esquecimento, efetivos contra os ß-Coronavirus, num momento em que as publicações oficiais limitavam-se a recomendar o álcool 70%, curiosamente o produto mais caro e o menos disponível no Brasil, país que é o segundo maior produtor alcooleiro do mundo.
O PADM traz medidas específicas de proteção para os trabalhadores da saúde que atuam na linha de frente, no atendimento de pacientes positivos para a COVID-19, especialmente nos casos de exposição ocupacional acidental e para a correta inativação dos materiais biológicos contaminados pelo novo Coronavirus.
Além disso, o PADM visa a democratizar e capilarizar o uso de antissépticos e desinfetantes baratos, efetivos, acessíveis a toda a população, especialmente as pessoas mais vulneráveis, além de resultar em menor impacto econômico aos cofres públicos, nesse difícil período de calamidade sanitária.

No PADM recomenda-se o uso dos seguintes antissépticos e desinfetantes, comprovadamente efetivos contra o Coronavirus, com base em evidências científicas:

1. Povidina iodada 0,25%, facilmente preparada em casa, por qualquer pessoa, a partir da PVP-I 10% comprada em farmácias e drogarias. Custo: R$1,50/litro de solução.
2. Peróxido de hidrogênio 0,5%, facilmente preparada em casa, por qualquer pessoa, a partir da água oxigenada comprada em farmácias e drogarias. Custo: R$6,00/litro de solução (ou R$0,20/litro, se preparado a partir do H2O2 50%).
3. Hipoclorito de sódio 0,1%, facilmente preparado em casa, por qualquer pessoa, a partir da água sanitária comprada em supermercados. Custo: R$0,10/litro de solução.
4. Álcool 70%, na forma líquida, que custa cerca de R$40,00 (litro) e em gel, que custa entre R$70,00 e R$90,00 (litro).

OBSERVAÇÃO: a Povidina iodada é mais efetiva que o álcool 70% (líquido ou gel), pois promove a mesma desinfecção em 1/4 do tempo de exposição.
Através do Hackcovid-19, o PADM poderá ter seu alcance, ao público-alvo, amplamente aumentado, através de aplicativos, website (que já está em desenvolvimento por dois hackers voluntários: um de Portugal e outro de Santa Catarina), dentre outras ferramentas digitais que poderão dar voz ao PADM, para que as informações do estejam amplamente disponíveis a todos. A população precisa saber desses produtos que são tão efetivos para a estruturação de barreiras químicas contra o novo Coronavirus quanto o álcool gel e que custam até 900 (novecentas) vezes menos.
Os parcos recusos que os mais vulneráveis dispõem nesse período de pandemia têm que ser destinados à alimentação, e não à compra do absurdamente caro álcool em gel.
A finalidade do PADM é humanitária e, nesse momento, uma questão de saúde pública. As informações contidas no PADM são de livre utilização e replicação, visando a informar as pessoas quanto às medidas seguras de proteção contra o novo Coronavirus.
A quem vai BeneficiarSaúde, Comunidade, Populações vulneráveis, Grupos de risco, Empresas e comércio, Educação, Informação
Público Alvo- Pessoas dos grupos de risco que estão em isolamento social, em casa; - Pessoas em estado de vulnerabilidade (moradores de rua, de comunidades, de favelas); - Comunidades indígenas e quilombolas; - Trabalhadores dos serviços essenciais, do comércio, indústrias e da saúde; - Profissionais da saúde, para proteção e nos casos de exposição ocupacional acidental; - Gestores da saúde - Gestores dos poderes públicos nos municípios, estados e federação.
Video do DesafioNenhum.
 
D213 - NOME DO DESAFIO DELIVERY EFICIENTE
Nome do ProponenteBruna Mansano
JustificativaTer o mesmo entregador de Delivery para diferentes estabelecimentos do mesmo quarteirão, faz com que tenha menos pessoas circulando pela cidade!
A quem vai BeneficiarSaúde, Populações vulneráveis, Empresas e comércio
Público AlvoPopulações vulneráveis
Video do DesafioNenhum.
 
D216 - NOME DO DESAFIO SUSTENTAÇÃO DA CRECHE SÃO JOÃO
Nome do ProponenteLília Lima
JustificativaCom a COVID 19 a Comunidade da Rocinha passou a receber muitas ajudas e doações de fora.
A intenção é que essa visibilidade que a comunidade ganhou não se perca, visando sempre a melhoria e aumento de qualidade de vida dos que habitam nela. Fizemos uma enquete sobre o que mais se faz necessário no momento, e todas as respostam se voltam para qualidade de vida.
Acreditamos que uma forma de conquistarmos isto é manter essa visibilidade, e assim trazer parceiros e investimentos para dentro comunidade.
A quem vai BeneficiarComunidade, Populações vulneráveis, Empresas e comércio
Público AlvoMoradores da comunidade da Rocinha
Video do Desafio
 
D223 - NOME DO DESAFIO PROFISSIONALIZAÇÃO DE MULHERES NO ALEMÃO
Nome do ProponenteRafaela França do Alemão LARES UFRJ
JustificativaEmpreendedora social promove, com o Projeto Make-in-Favela em parceria com a OSC EDUCAP, profissionalização na área de beleza para mulheres em situação de vulnerabilidade no Complexo do Alemão, onde já alcançou mais de 200 mulheres com cursos de maquiagem, automaquiagem, design de sobrancelhas e etc., promovendo, além do aumento da autoestima e fomento da sororidade, a possibilidade de uma fonte de renda para essas mulheres. Em decorrência da pandemia, identifica a vulnerabilidade de mulheres que perderam suas clientes, suas fontes de renda e que precisem se capacitar para realocação no mercado de trabalho. É necessário o desenvolvimento de aplicativo para capacitação e também para dar visibilidade aos serviços prestados e às mercadorias vendidas para captação de clientes.
A quem vai BeneficiarEmpresas e comércio
Público AlvoMulheres em situação de vulnerabilidade econômica no Complexo do Alemão.
Video do DesafioNenhum.